Morre aos 85 anos o autor do Hino à Negritude

Por Ascom/FCP

Faleceu na manhã desta quinta-feira (12), o presidente do Congresso Nacional Afro-brasileiro, professor Eduardo de Oliveira.  Aos 85 anos, o autor do Hino à Negritude sofria de insuficiência renal. O velório acontecerá após às 22 horas, na Câmara Municipal de São Paulo. O sepultamento será realizado nesta sexta-feira (13), no Cemitério da Lapa, às 15 horas.

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Eloi Ferreira de Araujo, lastimou a perda. “O Movimento Negro brasileiro está enlutado, entristecido com o passamento do professor Eduardo de Oliveira. Sua história de lutas para um Brasil progressista e independente, com um povo nutrido e feliz, se soma a toda uma trajetória de vida contra o racismo e os preconceitos”, afirma.

“O Hino à Negritude de sua autoria é um relato da firmeza e certeza que ele nutriu de ter um país sem racismo. Seu legado nos orienta a erguermos a cabeça e continuarmos lutando por uma sociedade justa, sem racismo e fraterna”, conclui o presidente da FCP.

Hino à Negritude – Eduardo de Oliveira, poeta e jornalista é autor da faixa-título Hino à Negritude. Em 2009, foi aprovada a oficialização do cântico à africanidade brasileira, em todo o território nacional, pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Autor de nove livros publicados, ilustrou em seus sonetos o encontro com a trágica realidade social dos negros brasileiros. O militante era também um defensor dos direitos humanos e um atento observador das relações raciais no Brasil.

Sob o céu cor de anil das Américas

Hoje se ergue um soberbo perfil

É u’a imagem de luz

Que em verdade traduz

A história do negro no Brasil

Este povo em passadas intrépidas

Entre os povos valentes se impôs

Com a fúria dos leões

Rebentando grilhões

Aos tiranos se contrapôs

Ergue a tocha no alto da glória

Quem herói nos combates se fez

Pois, que as páginas da história

São galardões aos negros de altivez

Levantado no topo dos séculos

Mil batalhas viris sustentou

Este povo imortal

Que não encontra rival

Na trilha que o amor lhe destinou

Belo e forte, na tez cor de ébano

Só lutando se sente feliz

Brasileiro de escol

Luta de sol a sol

Para o bem do nosso país

Ergue a tocha no alto da glória…

Dos palmares os feitos históricos

São exemplos da eterna lição

Que no solo tupi

Nos legara Zumbi

Sonhando com a libertação

Sendo filho também da mãe África

Aruanda dos deuses da paz

No Brasil este axé

Que nos mantêm de pé

Vem da força dos orixás

Ergue a tocha no alto da glória…

Que saibamos guardar estes símbolos

De um passado de heróico labor

Todos numa só voz

Bradam nossos avós

Viver é lutar com destemor

Para frente, marchemos impávidos

Que a vitória nos há de sorrir

Cidadãs, cidadãos

Somos todos irmãos

Conquistando o melhor porvir

Ergue a tocha no alto da glória…

 

 

Vídeo Biografia Eduardo Oliveira

 

Joceline Gomes/FCP

Eduardo de Oliveira em visita a FCP, recepcionado por Eloi Ferreira e Zulu Araújo

De |julho 12th, 2012|Destaque, Notícia|Comments Off on Morre aos 85 anos o autor do Hino à Negritude