Representantes da FCP visitam projeto no CEMTN

Na última terça feira, representantes da Fundação Cultural Palmares (FCP) visitaram o Centro de Ensino Médio Taguatinga Norte (CEMTN), com intuito de conhecer o projeto ‘‘Vínculos Africanos e Nativos Brasileiros’’, que consiste na busca por referências de representações africanas e indígenas, bem como a reprodução da história, por meio de pinturas corporais utilizadas pelos referidos povos. A ideia, neste sentido, era escolher pinturas corporais utilizadas por povos africanos e indígenas, pesquisá-las e reproduzi-las, o que resultou em uma belíssima exposição fotográfica.

O projeto desenvolvido pelo professor Davi Fagundes, nasceu em 2007, com alunos do ensino fundamental e, a partir de 2014, passou a ser desenvolvido com estudantes do ensino médio. O principal objetivo é resgatar a identidade cultural através do vínculo africano e indígena, conhecendo a história destes povos, por meio da cultura e das manifestações.

De acordo com o Professor Davi, o projeto ressalta a importância de trabalhar o amor ao próximo, o respeito e a questão do negro e do indígena no Brasil, para que a população conheça estas duas realidades e suas respectivas histórias.

Durante o debate, os estudantes falaram da importância do projeto e da escolha pela referência etnia-cultural trabalhada. A professora Elna, da Secretaria de Educação do Distrito Federal, foi convidada para participar e questionar os alunos sobre suas respectivas criações.

Bruna Rosa, 2° ano, 17 anos contou que decidiu trabalhar com a parte africana, pois se inspirou na vivência do seu pai que é um homem negro e sofreu com o racismo durante sua adolescência; a sua escolha foi para mostrar que ela não sente vergonha de ser afrodescendente.

Ester Meneses, 2° ano, 17 anos expôs que escolheu trabalhar com a referência indígena por conta de seus descendentes e, em sua busca na internet, encontrou imagens que retratavam o indígena e suas características como fantasia, fato que a motivou refletir sobre apropriação cultural.

Daniela, 2° ano, 17 anos pontuou que a história afro-brasileira e indígena deveria ser estudada já na infância e, desta forma, a sociedade teria um olhar não preconceituoso com relação a estas culturas.

A vice-diretora do Centro de Ensino Médio Taguatinga Norte afirmou que o projeto é importante, pois enaltece a cultura negra/indígena e agrega valor no processo de formação da identidade dos estudantes.

Por fim, o projeto é uma experiência enriquecedora para o resgate cultural das duas identidades e, os estudantes reproduziram isto, através da história e de fotografias que retrataram a identificação pessoal deles a partir das referências escolhidas.