Morre John Singleton.

“Ninguém fazia filmes sobre o que vivíamos em Los Angeles”.

Uma das maiores vozes do cinema negro nos Estados Unidos, o diretor John Singleton morreu nesta segunda (29), aos 51 anos, em decorrência de um derrame.  Após o diretor passar 12 dias em coma, a família decidiu, na manhã de segunda-feira, desligar os aparelhos que o mantinham vivo.

Singleton emergiu, no cenário hollywoodiano, ainda jovem e recém graduado em cinema. Seu filme de estreia e obra mais famosa ‘‘Boyz in the Hood’’, de 1991 (Os Donos da Rua) trouxe como pauta a identidade racial e as complexidades da vida de afro-americanos e as tensões urbanas no violento gueto de Crenshaw, na região centro-sul de Los Angeles.

A obra lhe rendeu duas indicações ao Oscar (melhor roteiro original e direção), em 1992 e fez dele o mais jovem diretor a concorrer à estatueta, aos 24 anos, e também o primeiro negro na categoria.

Os Donos da Rua é um marco na história do cinema afro-americano e o êxito crítico, bem como a importância dos temas discutidos levaram Singleton a falar num comitê do Senado americano sobre a alta de homicídios entre jovens. Ademais, o filme obteve enorme sucesso comercial e o elenco incluiu Angela Bassett, Laurence Fishburne, Cuba Gooding Jr (relevado pela trama) e o rapper Ice Cube, este último em seu primeiro papel no cinema. “Os Donos da Rua” também é conhecido pela trilha sonora original, que contribuiu para popularizar o rap, com músicas de Ice Cube, 2 Live Crew e Too $hort.

Dirigiu também, ‘‘Sem Medo no Coração’’, estrelado pela cantora Janet Jackson, juntamente com o rapper Tupac Shakur e a atriz Regina King.

“Duro Aprendizado” (1995) e “O Massacre de Rosewood” (1997) foram outros títulos que enveredaram pela complexidade da vida negra nos Estados Unidos, trazendo, respectivamente como pautas, o ambiente universitário e remontando um linchamento ocorrido na década de 1920 numa cidade da Flórida.

Em 2003, ano em que recebeu sua estrela na calçada da fama, dirigiu “+ Velozes + Furiosos”, seu maior sucesso comercial; o longa de ação “Quatro Irmãos” (2005), com Mark Wahlberg, Andre Benjamin e Tyrese Gibson, entre outros filmes.

Em seus últimos anos de vida, Singleton trabalhou na TV, tendo dirigido episódios das séries “Snowfall”, “Empire” e “American Crime Story”. Por esta última, recebeu indicações ao prêmio Emmy pela direção de uma minissérie.

John Singleton viveu e deixou o seu legado e, sem dúvida, as suas obras cinematográficas e os assuntos nelas abordados pavimentaram o caminho para outros diretores negros, os quais Lee Daniels (“Preciosa”), Barry Jenkins (“Moonlight”), Jordan Peele (“Corra!”) e Ryan Coogler (“Pantera Negra”).