Palmares Indica

Evento: II Mostra de Cinema Latino-Americano e Caribenho

A II Mostra de Cinema Latino-Americano e Caribenho é fruto do esforço do Grupo de Embaixadas da América Latina e do Caribe no Brasil.  O propósito é apresentar o trabalho de cineastas latino-americanos e caribenhos ao público brasiliense e, em particular, introduzir segmentos de cinema regional menos conhecidos. Ele celebra e apoia o trabalho dos cineastas regionais e compartilha Filmes e historias contada a partir de perspectivas de países cuja suas histórias raramente são contadas em grandes palcos.

Clique (AQUI) e confira a programação.

 

 

 

 

 

 

Livro: O Amor ao próximo é legalizado, pode usar sem medo 

A sociedade ainda se enraíza em diversos padrões e, um desses padrões é a dificuldade de reconhecer pessoas negras escrevendo sobre sentimento, pessoas negras falando de qualquer outra coisa que não seja sobre racismo.  Mateus Santana é um poeta negro em um mercado literário que bem como a estrutura social é racista e que corre na contra-mão do padrão esperado, escrevendo sobre sentimento. Começou a escrever na internet e lançou seu livro. O livro é uma obra que fala sobre sentimento, as diversas formas de amor, não só o romântico. Sendo assim, Amor ao próximo se divide em três capítulos: Ao próximo, o próprio, o próspero.

“Dizem que a gente só ama uma vez na vida, mas eu já amei várias vezes, muitas vezes. Tantas vezes que nem consigo contar, e todas elas de forma diferente, mas era amor. Já amei pelo que vi, pelo que imaginei, pelo que criei, pelo que foi mostrado. O fato é que, eu sou um ser que ama e que insisto em acreditar no amor. Enquanto procuram receitas, enquanto tentam definir o que é, eu só amo. Mesmo quando dizem que ele só acontece uma vez, não consigo acreditar que um sentimento tão gigante possa ser como um raio e cair apenas uma vez no lugar. Às pessoas que amo eu digo: nunca amarei ninguém igual a você. O que pode soar como mentira, mas não é. Amor é amor, mas cada um conquista ele de um jeito. E realmente nunca amarei o próximo amor como amei o anterior. Posso amar o jeito que a pessoa enxerga a vida, o jeito que ela sorri, ou o jeito que fica no cantinho, quase que imperceptível, pois não gosta de chamar tanta atenção. Não é que eu minta todas as vezes quando digo que amo. De fato, eu amo e nunca igual ao último. Não digo que é maior ou menor, é amor.”

Clique (AQUI) acompanhe e conheça mais obras  do autor.

 

 

 

 

Filme: Bem Vindo a Marly-Gomont

Em 1975, Seyolo Zantoko, médico recém-graduado do Congo, vai trabalhar em uma pequena aldeia francesa. Quando ali chegam, Seyolo e sua família ficam desiludidos. As pessoas têm medo, pois nunca viram negros em suas vidas. Mas Seyolo é determinado e tenta de tudo para ganhar a confiança dos moradores. Um belo filme, baseado numa história verídica.

Clique (Aqui) e assista o Trailer

 

 

 

 

 

 

 

 

Musica: Álbum – O canto dos escravos

Em 1982, a gravadora Eldorado reunia em seus estúdios três das majestades negras da música popular brasileira: Tia Doca da Portela (pastora da Velha Guarda), Geraldo Filme (o primeiro-nome do samba paulista), e a Rainha Quelé, Clementina de Jesus. O projeto de Aluízio Falcão com direção musical de Marcus Vinícius e percussão de Papete viria a se tornar um dos mais antológicos álbuns da música popular: O canto dos escravos. Tratava-se da primeira gravação de 12 cantos de trabalho (ou vissungos) recolhidos na década de 1930 pelo folclorista mineiro Aires da Mata Machado Filho na região de Diamantina, no Norte de Minas Gerais.

Clique (AQUI) e acompanhe as faixas dessa bela coletânea.

 

 

 

 

Destaque: Poeta Lucas de Matos

Nascido em Salvador e formado em Comunicação Social com Relações Públicas pela UNEB (Universidade do Estado da Bahia), Lucas tem fascínio pelo mundo da literatura desde o Ensino Médio. “Se não fosse o incentivo de professoras, nem o familiar, talvez não achasse interessante escrever nem consumir poesias”, comenta Lucas. “Através do Quartas Poéticas eu tento, por meio de visualidades, sons e vocábulos diversos, aproximar pessoas para esse universo tão bonito, inteligente e desanuviador das palavras”, acrescenta o poeta.

Lucas desenvolve um projeto que tem com titulo Quartas Poéticas , que são vídeos de poesia, com 1 minuto de duração divulgados no Instagram e legendados para serem acessíveis às pessoas com surdez. Essa é a ideia do projeto #QuartasPoéticas do baiano Lucas de Matos, que vem utilizando as redes sociais como canal para divulgar arte e textos poéticos, autorais e de outros artista.

Clique (AQUI) e Confira o trabalho do poeta.