Amapá Recebe Recursos Para Atividades de Promoção da Igualdade Racial

Acompanhado da Secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Sandra Terena, o presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Vanderlei Lourenço, participou na última semana (09 a 12 de julho) de uma extensa agenda sobre as demandas das populações negra e indígena nos estados de Alagoas e Amapá. Em Macapá foi anunciado que o Amapá foi incluído do Sistema Nacional de Igualdade Racial (Sinapir), decisão que o autoriza a acessar recursos destinados à promoção da igualdade racial.

Na prática, o estado terá uma pontuação maior quando for participar de editais do Governo Federal. Lourenço afirmou que, até o final do ano, três atividades locais, relacionadas às religiões de matriz africana, hip-hop e capoeira, já receberão investimentos de R$ 1,2 milhão da FCP. “Queremos contribuir para ampliar a visão de mundo dessas pessoas e ampliar o espaço delas na sociedade”, explicou, se referindo aos representantes de manifestações culturais e jovens negros e periféricos.

Durante a viagem, Lourenço divulgou o Programa Bolsa Permanência 2019 que está com inscrições abertas. São ofertadas 4 mil vagas voltadas a estudantes indígenas e quilombolas de ensino superior de instituições federais. Nesse processo, a Palmares contribui emitindo aos estudantes das comunidades certificadas a Declaração Bolsa Permanência, que é o documento onde as lideranças comunitárias, respaldadas pela Fundação, autenticam o pertencimento étnico de cada um deles.

As inscrições para o Bolsa Permanência deste ano seguem até 30 de agosto. Estudantes quilombolas que necessitarem da Declaração devem solicitar por meio de suas lideranças à Fundação por meio do e-mail dpa@palmares.gov.br. As inscrições podem ser feitas pelo Sistema de Gestão da Bolsa Permanência (SISBP) da Secretaria de Educação Superior (SESU) do Ministério da Educação (MEC).

Rota ampliada – Na mesma viagem, já em visita ao estado de Alagoas, Lourenço esteve com o governador em exercício, Jaime Nunes, com o prefeito de Macapá, Clécio Luis e com lideranças quilombolas do estado. Lourenço falou da importância da Bolsa Permanência para que se garanta a inclusão de jovens quilombolas nos espaços universitários. “Precisamos e queremos esses jovens nos espaços acadêmicos para que possamos alcançar um país equânime com todas as suas populações devidamente atendidas”, disse.

Em União dos Palmares, município alagoano, Lourenço visitou a Serra da Barriga – local onde viveu Zumbi dos Palmares – e foi recebido pelas lideranças quilombolas da localidade. Representantes do Quilombo Muquém apresentaram as suas demandas e foram conversadas possibilidades de parcerias para que se realize o levantamento de potencial produtivo da comunidade com o objetivo de que se trabalhem métodos capazes de garantir geração de emprego e renda.

Esta necessidade foi imediatamente articulada pela Palmares junto a Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Para a diretora substituta do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro (DPA/FCP), Valéria Cunha Gonçalves Monteiro, a agenda foi muito positiva. “A Palmares tem muitas formas de apoiar. Em menos de uma semana conseguiu ouvir e alinhar o trabalho entre vários órgãos e instituições atendendo a todas as demandas que foram apresentadas”, disse.

Prêmio Oliveira Silveira – O presidente Vanderlei Lourenço também falou a respeito do Prêmio que está com inscrições abertas até 22 de julho. A iniciativa é um método de fomento às obras de escritores que trabalham com foco na cultura negra. O objetivo do edital é cumprir com as diretrizes formuladas pelo Plano Plurianual do Governo Federal e pelo Plano Nacional de Cultura difundindo, promovendo e incentivando produções literárias que registrem, revelem e/ou resgatem a cultura afro-brasileira.

Nesta edição serão selecionadas cinco propostas de ficção direcionadas ao público com faixa etária entre oito e 12 anos. As obras devem ser inéditas e conter narrativas imaginárias, com temas e conteúdo que sejam compatíveis com a compreensão do público infantojuvenil. Devem abordar fatos históricos que valorizem a participação do negro na constituição da sociedade brasileira, questões afetas ao negro no Brasil e manifestações afro-brasileiras. Para concorrer ao Prêmio, os escritores devem ficar atentos ao prazo de inscrições.

SERVIÇO

Programa Bolsa Permanência 2019   

  • Inscrições pelo Sistema de Gestão da Bolsa Permanência (SISBP) no mec.gov.br
  • Prazo: até 30 de agosto

II Prêmio Oliveira Silveira – Infantojuvenil

De |julho 19th, 2019|Banner, Notícia, Sem categoria|Comments Off on Amapá Recebe Recursos Para Atividades de Promoção da Igualdade Racial