Fundação Palmares: 31 Anos de Promoção da Cultura Afro-Brasileira

A Fundação Cultural Palmares (FCP) celebra neste mês de agosto o seu 31º aniversário. A data formal de instituição da entidade é o dia 22, porém a programação comemorativa preencherá todo o mês com possibilidades culturais afro-brasileiras abertas ao público. Em Brasília, onde está situada a sede da FCP, as atividades serão realizadas em parceria com o Sesc. A abertura oficial acontecerá a partir das 17h do dia 05, no Teatro Sílvio Barbato, do Sesc Presidente Dutra.

A abertura oficial será marcada pela roda de conversa Fundação Cultural Palmares: 31 Anos de Reconhecimento do Brasil Negro. No evento, estarão personalidades como Carlos Moura, primeiro presidente da FCP, Glória Moura, doutora em Educação pela Universidade de Brasília (UnB), e, Januário Garcia, fotógrafo e presidente do Instituto Januário Garcia do Rio de Janeiro. A mesa será mediada por Nelson Inocêncio, membro do Conselho Curador da Fundação.

Na data também será aberta a exposição Herança Viva, de Januário Garcia, que em 50 peças traça a trajetória do negro brasileiro como participante na construção da sociedade brasileira, retratando aspectos do seu cotidiano, das suas festas tradicionais e da religiosidade de matriz africana. A exposição permanecerá aberta à visitação até 13 de setembro quando será encerrado, também, o Sonora Brasil 2019.

Parte da programação, de terça-feira (06) até o dia 29 de agosto, a FCP e o Sesc passarão filmes com temática negra. Entre eles o documentário My Name is Now, de Elizabete Martins Campos, 2018, que concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria documentário, e, o documentário SIMONAL – Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Cláudio Manuel, Micael Langer e Calvito Leal, 2009. Os filmes trazem respectivamente as histórias pessoais dos artistas Elza Soares e Wilson Simonal, ícones negros da música brasileira.

Os demais filmes serão: Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, Estamira (2005) dirigido por Marcos Prado, Menino 23 (2016) dirigido por Belisario Franca, e, Pitanga (2017) com direção de Beto Brant e Camila Pitanga. As sessões acontecerão todas as segundas e terças-feiras a partir das 12h, no Teatro Sílvio Barbato. Confira abaixo, os dias de cada sessão.

 

SERVIÇO

31º Aniversário da Fundação Cultural Palmares

 05 de agosto

 17h – Martinha do Côco

17h30 – Grupo Capoeiristas do Rei

18h – Marvyn

18h20 – Aye de Iyabas – Intervenção artística com a dançarina Hosana Oliveira.

18h30 – Mesa Oficial de Abertura com a Roda de Conversa 31º aniversário da Fundação Cultural Palmares.

  • Vanderlei Lourenço (Presidente da Fundação Cultural Palmares – DF)
  • Carlos Moura (ex-presidente da Fundação Cultural Palmares – DF)
  • Januário Garcia (fotógrafo e Presidente do Instituto Januário Garcia – RJ)
  • ª Glória Moura (UnB – DF)
  • Representante dos quilombolas
  • Representante de Matriz Africana
  • Mediador: Lorena Marques

 

19h30 – Coquetel Afro-Brasileiro
Local: Teatro Sílvio Barbato
Endereço: Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra

Agenda para as sessões de cinema

 05/08 

Filme: Menino 23: a infância perdida

Ano de lançamento: 2016

Duração: 1h e 20 min

Direção: Belisário

Gênero: Drama

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos

A partir da descoberta de tijolos marcados com suásticas nazistas em uma fazenda no interior de São Paulo, o filme acompanha a investigação do historiador Sidney Aguilar e a descoberta de um fato assustador: durante os anos 1930, 50 meninos negros e mulatos foram levados de um orfanato no Rio de Janeiro para a fazenda onde os tijolos foram encontrados.

 06/08

Filme: Besouro

Ano de lançamento: 2009

Duração: 1h 25min

Direção:  João Daniel Tikromiroff            

Gênero: Drama

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos

 No começo do século XX, apesar da escravidão já ter acabado no Brasil há muitos anos, os negros ainda eram oprimidos pelos brancos. Enquanto isso, no Recôncavo Baiano, o menino Manoel Henrique aproveita sua infância para aprender uma tradição afro-brasileira proibida na época, a capoeira. Junto com os amigos Quero-Quero e Dinorá, o garoto toma aulas com o Mestre Alípio, considerado o líder comunitário dos negros da região.

Vinte anos depois, Manoel já é conhecido por todos como Besouro, um dos maiores capoeiristas da região. Assim como a maior parte dos negros, ele trabalha nas fazendas de cana do Coronel Venâncio, mas é o único que não se sente intimidado pelos poderosos. Certo dia, quando Besouro se distrai, Mestre Alípio é assassinado, como forma de diminuir a voz dos negros. Se sentindo culpado, e tendo a missão de dar continuidade ao trabalho de seu mestre, o aluno se isola para aperfeiçoar suas técnicas.

 12/08

Filme: My Name is Now

Ano de lançamento: 2017

Duração: 73 min

Direção: Elizabete Martins Campos

Gênero: documentário, musical

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 12 anos

Um filme musical com a cantora Elza Soares, ícone da cultura brasileira, numa saga que ultrapassa o tempo, espaço, perdas e sucessos. Elza e seu espelho, cara a cara, nua e crua, ao mesmo tempo frágil e forte, real e sobrenatural, uma fênix, que com a força da natureza transcende e canta gloriosamente.

13/08

Filme: Estamira

Ano de lançamento: 20049

Duração: 1h 21min

Direção:  Marcos Prado            

Gênero: Documentário

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos

 ESTAMIRA é a história de uma mulher de 63 anos que sofre transtornos mentais e que durante 20 anos viveu e trabalhou no Aterro Sanitário de Jardim Gramacho. Carismática e maternal, Dona Estamira convive com um pequeno grupo de catadores idosos num local renegado pela sociedade, que recebe diariamente mais de oito mil toneladas de lixo produzido no Rio de Janeiro.

 19/08

Filme: Simonal: ninguém sabe o duro que dei.

Ano de lançamento: 2009

Duração: 98 min

Direção:  Calvito Leal            

Gênero: Documentário

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos

Numa época de talentos eternos e revolucionários, Wilson Simonal brilhou como ninguém e inovou como poucos.

Juntando qualidade, carisma, simpatia, suingue, charme, sensualidade e muito talento, ele se tornou a sensação do Brasil e ainda conquistou o público internacional.

De repente tudo acabou.

Boatos, acusações, mistérios, patrulhas e perseguições.

O que aconteceu com Wilson Simonal?

 20/08

Filme: Pitanga

Ano de lançamento: 2017

Duração: 95 min

Direção: Beto Brant, Camila Pitanga

Gênero: documentário

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos

A trajetória e a carreira de Antônio Pitanga, um dos grandes atores do cinema brasileiro, protagonista de momentos marcantes da cinematografia nacional.

 26/08

Filme: Besouro

Ano de lançamento: 2009

Duração: 1h 25min

Direção:  João Daniel Tikromiroff            

Gênero: Drama

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos

 No começo do século XX, apesar da escravidão já ter acabado no Brasil há muitos anos, os negros ainda eram oprimidos pelos brancos. Enquanto isso, no Recôncavo Baiano, o menino Manoel Henrique aproveita sua infância para aprender uma tradição afro-brasileira proibida na época, a capoeira. Junto com os amigos Quero-Quero e Dinorá, o garoto toma aulas com o Mestre Alípio, considerado o líder comunitário dos negros da região.

Vinte anos depois, Manoel já é conhecido por todos como Besouro, um dos maiores capoeiristas da região. Assim como a maior parte dos negros, ele trabalha nas fazendas de cana do Coronel Venâncio, mas é o único que não se sente intimidado pelos poderosos. Certo dia, quando Besouro se distrai, Mestre Alípio é assassinado, como forma de diminuir a voz dos negros. Se sentindo culpado, e tendo a missão de dar continuidade ao trabalho de seu mestre, o aluno se isola para aperfeiçoar suas técnicas.

 27/08

Filme: Simonal: ninguém sabe o duro que dei.

Ano de lançamento: 2009

Duração: 98 min

Direção:  Calvito Leal            

Gênero: Documentário

Nacionalidade: Brasil

Classificação: 14 anos


Numa época de talentos eternos e revolucionários, Wilson Simonal brilhou como ninguém e inovou como poucos.

Juntando qualidade, carisma, simpatia, suingue, charme, sensualidade e muito talento, ele se tornou a sensação do Brasil e ainda conquistou o público internacional.

De repente tudo acabou.

Boatos, acusações, mistérios, patrulhas e perseguições.

O que aconteceu com Wilson Simonal?

 

Horário: 12h
Local: Teatro Sílvio Barbato

Endereço: Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra

5 Comentários

  1. […] 31 Anos de Promoção da Cultura Afro-brasileira Até 29/8Endereço: Teatro Sílvio Barbato – Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra – Brasília (DF)A Fundação Cultural Palmares (FCP) celebra neste mês de agosto o seu 31º aniversário. A data formal de instituição da entidade é o dia 22, mas a programação comemorativa preencherá todo o mês com possibilidades culturais afro-brasileiras abertas ao público. Em Brasília, onde está situada a sede da FCP, as atividades serão realizadas em parceria com o Sesc. Também está aberta a exposição Herança Viva, de Januário Garcia, que em 50 peças traça a trajetória do negro brasileiro como participante na construção da sociedade brasileira, retratando aspectos do seu cotidiano, das suas festas tradicionais e da religiosidade de matriz africana. A exposição permanecerá aberta à visitação até 13 de setembro quando será encerrado, também, o Sonora Brasil 2019.Até o dia 29 de agosto, a FCP e o Sesc passarão filmes com temática negra. Entre eles, o documentário My Name is Now, de Elizabete Martins Campos (2018) que concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria documentário, e, o documentário SIMONAL – Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Cláudio Manuel, Micael Langer e Calvito Leal (2009). Os filmes trazem respectivamente as histórias pessoais dos artistas Elza Soares e Wilson Simonal, ícones negros da música brasileira. Os demais filmes serão: Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, Estamira (2005) dirigido por Marcos Prado, Menino 23 (2016) dirigido por Belisario Franca, e, Pitanga (2017) com direção de Beto Brant e Camila Pitanga. As sessões acontecerão todas as segundas e terças-feiras a partir das 12h, no Teatro Sílvio Barbato.Mais informações […]

  2. […] 31 Anos de Promoção da Cultura Afro-brasileira Até 29/8 Endereço: Teatro Sílvio Barbato – Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra – Brasília (DF)A Fundação Cultural Palmares (FCP) celebra neste mês de agosto o seu 31º aniversário. A data formal de instituição da entidade é o dia 22, mas a programação comemorativa preencherá todo o mês com possibilidades culturais afro-brasileiras abertas ao público. Em Brasília, onde está situada a sede da FCP, as atividades serão realizadas em parceria com o Sesc. Também está aberta a exposição Herança Viva, de Januário Garcia, que em 50 peças traça a trajetória do negro brasileiro como participante na construção da sociedade brasileira, retratando aspectos do seu cotidiano, das suas festas tradicionais e da religiosidade de matriz africana. A exposição permanecerá aberta à visitação até 13 de setembro quando será encerrado, também, o Sonora Brasil 2019. Até o dia 29 de agosto, a FCP e o Sesc passarão filmes com temática negra. Entre eles, o documentário My Name is Now, de Elizabete Martins Campos (2018) que concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria documentário, e, o documentário SIMONAL – Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Cláudio Manuel, Micael Langer e Calvito Leal (2009). Os filmes trazem respectivamente as histórias pessoais dos artistas Elza Soares e Wilson Simonal, ícones negros da música brasileira. Os demais filmes serão: Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, Estamira (2005) dirigido por Marcos Prado, Menino 23 (2016) dirigido por Belisario Franca, e, Pitanga (2017) com direção de Beto Brant e Camila Pitanga. As sessões acontecerão todas as segundas e terças-feiras a partir das 12h, no Teatro Sílvio Barbato.Mais informações […]

  3. […] 31 Anos de Promoção da Cultura Afro-brasileira Até 29/8 Endereço: Teatro Sílvio Barbato – Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra – Brasília (DF) A Fundação Cultural Palmares (FCP) celebra neste mês de agosto o seu 31º aniversário. A data formal de instituição da entidade é o dia 22, mas a programação comemorativa preencherá todo o mês com possibilidades culturais afro-brasileiras abertas ao público. Em Brasília, onde está situada a sede da FCP, as atividades serão realizadas em parceria com o Sesc. Também está aberta a exposição Herança Viva, de Januário Garcia, que em 50 peças traça a trajetória do negro brasileiro como participante na construção da sociedade brasileira, retratando aspectos do seu cotidiano, das suas festas tradicionais e da religiosidade de matriz africana. A exposição permanecerá aberta à visitação até 13 de setembro quando será encerrado, também, o Sonora Brasil 2019. Até o dia 29 de agosto, a FCP e o Sesc passarão filmes com temática negra. Entre eles, o documentário My Name is Now, de Elizabete Martins Campos (2018) que concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria documentário, e, o documentário SIMONAL – Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Cláudio Manuel, Micael Langer e Calvito Leal (2009). Os filmes trazem respectivamente as histórias pessoais dos artistas Elza Soares e Wilson Simonal, ícones negros da música brasileira. Os demais filmes serão: Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, Estamira (2005) dirigido por Marcos Prado, Menino 23 (2016) dirigido por Belisario Franca, e, Pitanga (2017) com direção de Beto Brant e Camila Pitanga. As sessões acontecerão todas as segundas e terças-feiras a partir das 12h, no Teatro Sílvio Barbato. Mais informações […]

  4. […] 31 Anos de Promoção da Cultura Afro-brasileira Até 29/8 Endereço: Teatro Sílvio Barbato – Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra – Brasília (DF) A Fundação Cultural Palmares (FCP) celebra neste mês de agosto o seu 31º aniversário. A data formal de instituição da entidade é o dia 22, mas a programação comemorativa preencherá todo o mês com possibilidades culturais afro-brasileiras abertas ao público. Em Brasília, onde está situada a sede da FCP, as atividades serão realizadas em parceria com o Sesc. Também está aberta a exposição Herança Viva, de Januário Garcia, que em 50 peças traça a trajetória do negro brasileiro como participante na construção da sociedade brasileira, retratando aspectos do seu cotidiano, das suas festas tradicionais e da religiosidade de matriz africana. A exposição permanecerá aberta à visitação até 13 de setembro quando será encerrado, também, o Sonora Brasil 2019. Até o dia 29 de agosto, a FCP e o Sesc passarão filmes com temática negra. Entre eles, o documentário My Name is Now, de Elizabete Martins Campos (2018) que concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria documentário, e, o documentário SIMONAL – Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Cláudio Manuel, Micael Langer e Calvito Leal (2009). Os filmes trazem respectivamente as histórias pessoais dos artistas Elza Soares e Wilson Simonal, ícones negros da música brasileira. Os demais filmes serão: Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, Estamira (2005) dirigido por Marcos Prado, Menino 23 (2016) dirigido por Belisario Franca, e, Pitanga (2017) com direção de Beto Brant e Camila Pitanga. As sessões acontecerão todas as segundas e terças-feiras a partir das 12h, no Teatro Sílvio Barbato. Mais informações […]

  5. […] 31 Anos de Promoção da Cultura Afro-brasileira Até 29/8 Endereço: Teatro Sílvio Barbato – Setor Comercial Sul, Quadra 02, Edifício Presidente Dutra – Brasília (DF) A Fundação Cultural Palmares (FCP) celebra neste mês de agosto o seu 31º aniversário. A data formal de instituição da entidade é o dia 22, mas a programação comemorativa preencherá todo o mês com possibilidades culturais afro-brasileiras abertas ao público. Em Brasília, onde está situada a sede da FCP, as atividades serão realizadas em parceria com o Sesc. Também está aberta a exposição Herança Viva, de Januário Garcia, que em 50 peças traça a trajetória do negro brasileiro como participante na construção da sociedade brasileira, retratando aspectos do seu cotidiano, das suas festas tradicionais e da religiosidade de matriz africana. A exposição permanecerá aberta à visitação até 13 de setembro quando será encerrado, também, o Sonora Brasil 2019. Até o dia 29 de agosto, a FCP e o Sesc passarão filmes com temática negra. Entre eles, o documentário My Name is Now, de Elizabete Martins Campos (2018) que concorre ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro na categoria documentário, e, o documentário SIMONAL – Ninguém Sabe o Duro que Dei, de Cláudio Manuel, Micael Langer e Calvito Leal (2009). Os filmes trazem respectivamente as histórias pessoais dos artistas Elza Soares e Wilson Simonal, ícones negros da música brasileira. Os demais filmes serão: Besouro (2009), dirigido por João Daniel Tikhomiroff, Estamira (2005) dirigido por Marcos Prado, Menino 23 (2016) dirigido por Belisario Franca, e, Pitanga (2017) com direção de Beto Brant e Camila Pitanga. As sessões acontecerão todas as segundas e terças-feiras a partir das 12h, no Teatro Sílvio Barbato. Mais informações […]