FCP fecha ciclo de participação em três feiras literárias de 2019

Os escritores Eliana Alves Cruz e Welis Couto participaram nesta segunda-feira (18) da 7ª edição da Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra (FlinkSampa) que acontece em São Paulo até 20 de novembro, Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra. Eles participam no estande da Fundação Cultural Palmares (FCP) fechando um ciclo de apresentações que passou por três grandes eventos literários brasileiros: a 47ª Feira do Livro de Pelotas, a 9ª Bienal Internacional do Livro de Alagoas e, agora, a FlinkSampa, realizado pela Faculdade Zumbi dos Palmares.

“Uma festa literária é sempre uma forma de aumentar conhecimento, e nosso objetivo maior é ampliar nossos horizontes”, enfatiza o reitor da Faculdade Zumbi dos Palmares, presidente da FlinkSampa. Segundo ele, o evento é uma maneira de oferecer oportunidade nunca vista aos escritores negros, aos que escrevem sobre o negro e aos jovens talentos.

Tom Farias, curador do evento, diz que a integração entre autores e público tem sido o mote das feiras literárias nacionais e destaca a ocasião proporcionada pelo FlinkSampa para conectar autores e leitores negros. “É uma missão especial que vem para ampliar possibilidades e também parcerias”, diz. “É muito simbólico que a Faculdade Zumbi dos Palmares, com a FlinkSampa, tenha essa relação tão estreita de colaboração com uma instituição histórica como é a Fundação Palmares”, completa.

De acordo com Vanderlei Lourenço, presidente da FCP, as participações nas feiras são garantia de visibilidade a uma série de questões que precisam ser solucionadas nas relações de mercado editorial. “São problemáticas que vão dos tratos ético e linguístico à representatividade negra”, pontua.
Duas referências que crescem no cenário editorial brasileiro, Eliana e Couto cumpriram a programação do evento no estande da FCP, onde estão expostos seus trabalhos, atendendo ao público com sessões de autógrafos. Jornalista e pós-graduada em comunicação empresarial, Eliana foi contemplada no I Prêmio Oliveira Silveira, realizado pela FCP em 2015, pelo livro Água de Barrela. Nele, Eliana reconta uma história social tendo como referência a sua própria família, sob a ótica de um protagonismo negro e feminino.

Já Couto, graduado em Letras pertence à Academia Municipalista de Letras de Minas Gerais, ao Grêmio de Estudos Literários João Monlevade (MG) e à Casa do Escritor, de São Roque (SP). Publicou diversos livros de contos e de romances, além de ter participado em antologias. Possui trabalhos literários publicados em vários órgãos da Imprensa Nacional e obteve boas classificações em concursos em diversas cidades brasileiras, tendo recebido nove prêmios literários.

Por sua atuação, Couto participou da Comissão de Seleção do II Prêmio Oliveira Silveira que se encontra em fase de recurso ao resultado preliminar, divulgado na última quinta-feira (14). Em sua primeira participação na FlinkSampa ele levou a obra O Corpo. A história fala de um corpo sem vida que assiste ao próprio funeral observando os visitantes que chegam para a cerimônia de despedida e que tem a oportunidade de rever a própria vida.
“Estou aqui com o apoio da Fundação Palmares e esse apoio que tem sido dado aos autores negros ou de tendência em literatura afro-brasileira é de suma importância, pois, esses livros são difíceis de serem escritos, editados e divulgados e só conseguimos transpor essas barreiras com apoio e incentivo”, disse.

Além das sessões de autógrafos, a FCP realiza a distribuição gratuita de exemplares das cinco obras vencedoras do I Prêmio Oliveira Silveira: Água de Barrela; Haussá 1815: Comarca das Alagoas; Sobre as Vitórias Que a História Não Conta; Sessenta e Seis Selos e Sina Traçada.

De |novembro 19th, 2019|Banner, Notícia|0 Comentários