Laércio Fidelis Dias é o novo diretor de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro

A Fundação Cultural Palmares (FCP) acaba de receber Laércio Fidelis Dias como diretor do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro (DPA). Nomeado em 03 de março de 2020, o pesquisador e professor da Universidade Estadual Paulista (UNESP) é doutor em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e atua há praticamente 20 anos junto a povos tradicionais. Como gestor, é secretário-geral da Associação Docentes Pela Liberdade (DPL), coletivo constituído por profissionais acadêmicos e de outras áreas, interessados na qualificação da educação no Brasil.

O DPA, o qual Dias irá chefiar, compreende a identificação e a certificação das comunidades remanescentes de quilombos emitindo a Declaração de Autodefinição Quilombola, documento necessário à regularização fundiária dessas comunidades. Para a missão, Dias traz suas experiências como chefe e vice do Departamento de Sociologia e Antropologia e do curso de Relações Internacionais da UNESP. “Agradecido pelo convite feito pelo presidente Sérgio Camargo, venho com alegria e espírito de serviço para envolver e gerir pessoas para que queiram atingir determinados objetivos, evidentemente, os da instituição”, afirma demonstrando gratidão, ainda, ao ministro do Turismo, Marcelo Henrique Teixeira Dias.

O Departamento também tem por competência um conjunto de atividades relacionadas à proteção, preservação e promoção da identidade dessas comunidades, além das populações de terreiros de matriz africana. À frente do setor de um órgão público, Dias, que tem uma ampla experiência acadêmica, pontua a diferença entre os públicos que atendeu e que, agora, serão atendidos por ele. “Na vida acadêmica nós produzimos conhecimento, formamos pessoas para a vida profissional. Aqui se transforma um pouco, trata-se de produzir realidade”, diz.

Referência nos estudos de populações indígenas, ele se sente preparado para o cargo. “Embora a temática negra não seja tema de minhas pesquisas, como brasileiro e negro tenho a experiência vivencial da população negra brasileira, o que acredito ser importante para o cargo que estou a assumir”, completa.

Perspectivas – O diretor vê como seu grande desafio diante do cargo realizar a proteção do patrimônio afro-brasileiro no contexto de patrimônio histórico e cultural, tal como o compreende: uno e diverso, com o seus conflitos e tensões. “Não será fácil proteger o específico sem dissolver a unidade por causa de rixas, rivalidades e ideologias, enfim sem ruptura e em continuidade com a nossa rica e estimável trajetória histórica”, diz.

Dias enfatiza a cultura e a sociedade brasileira como sendo a síntese da convivência de vários grupos humanos, dos mais diferentes cantos do mundo. “Não se trata de uma cultura homogênea, mas de algo que se assemelha a um mosaico. É uma unidade extremamente diversa, mas, uma unidade, sem dúvida”. De acordo com ele, devido à colonização portuguesa, a matriz ibero-lusitana foi a que mais deixou marcas, às quais se somam as influencias de indígenas, de africanos, de italianos, de alemães e de árabes, entre outras.

Laércio Fidelis Dias Paulistano, solteiro, de família modesta, é filho de mãe doméstica, nascida em Batatais, e de pai ferramenteiro, também paulistano. “Minha família era ‘remediada’ conforme se dizia e como eu costumava ouvir em casa, quando pequeno”, recorda. Em razão disso, Dias dedicou a vida aos estudos e ao trabalho.

“A vida dos meus pais não foi fácil, mas eles fizeram tudo o que puderam por mim e por meus irmãos. Temos formação superior, toda a minha formação se deu na Universidade de São Paulo (USP), da graduação ao doutorado”, expressa com gratidão, colocando-se à disposição para retribuir pelas oportunidades que teve, atendendo da melhor maneira pessoas que, como ele, acreditam no funcionalismo público de qualidade.

Atualmente, reside em São Paulo, mas, deve chegar a Brasília na próxima semana. Devido às orientações referentes ao controle da pandemia COVID-19, trabalhará remotamente como os demais funcionários da Fundação, até novas orientações do Ministério da Saúde.

De |abril 7th, 2020|Notícia|Comments Off on Laércio Fidelis Dias é o novo diretor de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro