Engenheiro e abolicionista, André Rebouças é forte inspiração para os brasileiros

Os estudos da Dra. Ângela Alonso, em seu livro Flores, Votos e Balas – O Movimento Abolicionista Brasileiro (1868-88), de 2015, proporcionaram ao professor William R. Quintal uma informação importante para a historiografia da arte brasileira: o papel que André Rebouças exerceu como financiador de obras capazes de sensibilizar a Corte Imperial para a causa da abolição em meio a ações ousadas que envolveram todos os níveis da sociedade da época.

Quintal, professor e mestre mineiro, monarquista, ainda em seu período acadêmico como mestrando em História da Arte na Universidade de Brasília (UnB), criou um grande apreço e admiração por Rebouças, que, segundo ele “é um homem em grande medida subestimado, e até mesmo apagado, da história republicana por muitas décadas, apesar de suas contribuições em tantas áreas, que vão de científicas e artísticas à militares”.

Essa admiração pelo abolicionista e sua grande potência criativa foi coroada quando o Instituto Cultural D. Isabel I (IDII), localizado em Brasília, do qual Willian é membro, pediu um novo retrato de Rebouças para o seu acervo. Diante da demanda, a preferência do artista foi criar uma imagem com um realismo mais duro do que normalmente se vê nas imagens mais conhecidas de André Rebouças. Para compor a obra, Quintal se propôs a usar uma fonte de referência que não fosse retocada. Segundo ele, os retoques eram práticas comuns no século XIX e criavam imagens mais convencionais das pessoas.

No entanto, como há poucas fotografias de André Rebouças em acervos e museus, o artista usou como base uma fotografia do abolicionista feita em uma de suas viagens à Paris na década de 1860. Ele recriou a imagem de Rebouças com seus vinte e poucos anos, ainda cheio de esperanças e vitalidade.

 

(Retrato de André Rebouças, William R. Quintal, 2020. Acrílica sobre tela, 35 x 35 cm).

Quem foi André Rebouças – Admirar André Pinto Rebouças (1838-1898) deveria ser algo latente em todos os brasileiros conhecedores da História. Rebouças nasceu no Recôncavo Baiano em 1938 e, em fevereiro de 1846, se mudou com sua família para o Rio de Janeiro. No período escolar, sempre teve papel de destaque e, em 1854, ingressou na Escola Militar. Tempos depois foi promovido a 2º tenente do Corpo de Engenheiros. Bacharelou-se em Ciências Físicas e Matemáticas em abril de 1859, na Escola de Aplicação da Praia Vermelha, obtendo o grau de engenheiro militar em dezembro de 1860.

Ganhou notoriedade na então capital do Império, Rio de Janeiro, ao criar soluções para o abastecimento de água. Em 1871, Rebouças e seu irmão, Antônio, que tinha a mesma área de atuação, levaram até o imperador D.Pedro II o projeto que revolucionaria a malha ferroviária brasileira: a estrada de ferro que ligaria a cidade de Curitiba ao Litoral do Paraná. O projeto foi aprovado, porém de modo que o trajeto atendesse ainda o Porto de Paranaguá. Até os dias atuais, essa obra ganha destaque por sua ousadia.

Ao lado de Machado de Assis, Cruz e Souza e José do Patrocínio, André Rebouças foi um dos representantes da pequena classe média negra em ascensão durante o Segundo Reinado. Foi, ainda, uma das vozes mais importantes em prol da abolição da escravatura e um dos fundadores da Sociedade Brasileira contra a Escravidão. Junto de José do Patrocínio, redigiu o Manifesto da Confederação Abolicionista.

Quem é William R. Quintal – Nascido no ano de 1979 em Belo Horizonte, Minas Gerais, em uma família tradicional. Sempre se interessou pelo desenho e pelas Artes Visuais em geral. Entre os desenhos e esculturas de sucata que desenvolveu na infância, se destacaram também as pinturas murais que fez nas paredes de sua casa. No fim dos anos 1990 ingressou na Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), onde se formou como bacharel em Gravura no ano 2000. Em 2001 se tornou professor de Arte no Colégio Batista Mineiro, uma instituição centenária onde lecionou por 10 anos.

Em 2011, morando em Brasília com a família, atuou principalmente como consultor de educação escolar indígena para organismos internacionais como a Organização de Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI) e a UNESCO no Ministério da Educação. “Essa experiência me fez pensar mais sobre o poder harmonizador de realidades violentamente díspares através da Arte tantas vezes subestimada”, afirma. “O convite do Instituto, só reforçou a minha admiração por Rebouças. Senti uma necessidade de fazer justiça, pois existem poucas imagens desse herói nacional tão escondido pela história”, completa.

SERVIÇO

Retrato de André Rebouças, William R. Quintal, 2020. Acrílica sobre tela, 35 x 35 cm.
Informações: Instituto Cultural D. Isabel I (IDII)
Site: www.idisabel.org.br
E-mail: idisabel@idisabel.org.br

De |maio 28th, 2020|Destaque, Secundária|Comments Off on Engenheiro e abolicionista, André Rebouças é forte inspiração para os brasileiros