FCP visita comunidade Kalunga para entrega de cestas de alimento

No último dia 14, o diretor do Departamento de Proteção do Patrimônio Afro-brasileiro (DPA), Laércio Dias, esteve na comunidade Kalunga de Engenho II em Cavalcante, para a entrega de cestas de alimentos as famílias Quilombolas residentes do local. A ação faz parte do plano emergencial de assistência às famílias durante o período de pandemia provocada pelo COVID-19.

Na ocasião, foram entregues 100 cestas básicas e nos dias posteriores o restante, totalizando 1.762 cestas entregues às famílias.

Representando a FCP além de Laércio Fidélis, estiveram presentes no ato a servidora Edi Freita, Chefe de Divisão da Coordenação de Articulação e Apoio às comunidades quilombolas,e Gulherme Bruno, Chefe de Promoção da Cultura Afro, acompanhados de  Sandra Terena, Secretária Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial/SNPPIR, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Bruno Cordeiro – Diretor-Executivo de Operações e Abastecimento da Conab, Rafael Borges Buenos – Superintendente Regional da Conab no DF e entorno.

A comunidade Quilombo Kalunga é o maior quilombo em extensão territorial do Brasil, são mais de 262 mil hectares, reconhecidos há quase vinte anos pelo governo federal. O território encontra-se distribuído em 04 municípios: Cavalcante, Teresina e Monte Alegre, estado de Goiás e Arraias no Tocantins. Sua existência tem origem no século XVIII, no Ciclo do Ouro De acordo com a associação da comunidade, estima-se que no quilombo tenha cerca de 9 a 11 mil pessoas, espalhadas ao menos em 39 comunidades .

Em uma de suas falas, Dias deixou claro que a instituição quer o bem-estar da comunidade, e para isto trabalha. Notícias diferentes que chegam, visam espalhar o medo e a divisão do grupo, o que provoca o seu enfraquecimento, além de salientar que os canais de comunicação com a Fundação estão sempre abertos.

Cestas emergenciais:

A ação de distribuição de alimentos do Governo Federal, por intermédio do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) em cooperação com  a Fundação Cultural Palmares, objetiva atender, em caráter emergencial, as demandas das famílias quilombolas em situação de vulnerabilidade e insegurança alimentar, agravada pela pandemia do coronavírus – COVID-19.

O êxito desta parceria já possibilitou o atendimento de  7.309 famílias quilombolas em  06 (seis) estados da federação, já concluído com 317.416 toneladas de alimentos distribuídas.

Com a extensão do atendimento possibilitado pelo MMFDH, serão contempladas mais 20.000 famílias, com 440.000 toneladas de alimentos.

De |agosto 24th, 2020|Banner, Notícia|0 Comentários