Informações Quilombolas

Conforme o art. 2º do Decreto nº 4.887, de 20 de novembro de 2003, “consideram-se remanescentes das comunidades dos quilombos, para os fins deste Decreto, os grupos étnico-raciais, segundo critérios de auto-atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida.”

São, de modo geral, comunidades oriundas daquelas que resistiram à brutalidade do regime escravocrata e se rebelaram frente a quem acreditava serem eles sua propriedade.

As comunidades remanescentes de quilombo se adaptaram a viver em regiões por vezes hostis. Porém, mantendo suas tradições culturais, aprenderam a tirar seu sustento dos recursos naturais disponíveis ao mesmo tempo em que se tornaram diretamente responsáveis por sua preservação, interagindo com outros povos e comunidades tradicionais tanto quanto com a sociedade envolvente. Seus membros são agricultores, seringueiros, pescadores, extrativistas e, dentre outras, desenvolvem atividades de turismo de base comunitária em seus territórios, pelos quais continuam a lutar.

Embora a maioria esmagadora encontrem-se na zona rural, também existem quilombos em áreas urbanas e peri-urbanas.

Em algumas regiões do país, as comunidades quilombolas, mesmo aquelas já certificadas, são conhecidas e se autodefinem de outras maneiras: como terras de preto, terras de santo, comunidade negra rural ou, ainda, pelo nome da própria comunidade (Gorutubanos, Kalunga, Negros do Riacho, etc.).

De todo modo, temos que comunidade remanescente de quilombo é um conceito político-jurídico que tenta dar conta de uma realidade extremamente complexa e diversa, que implica na valorização de nossa memória e no reconhecimento da dívida histórica e presente que o Estado brasileiro tem com a população negra.

Abaixo segue os banners para acesso as seguintes informações:

Últimas Notícias

Inscrições para escolha do novo logotipo da Palmares são prorrogadas e vão até 15 de outubro

Em entrevista, o Diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira (DEP), Marcos Petrucelli, falou dos critérios para a escolha do vencedor do concurso   À frente do Departamento de Fomento e Promoção [...]

As três crianças de Belford Roxo e o silêncio do movimento negro

Por: Robson de Oliveira Silva - Professor de Filosofia e Analista Político Desde dezembro de 2020, Camila Paes, Rana Jéssica e Tatiana Ribeiro sonhavam com o retorno de seus filhos: Lucas (8), Alexandre (10) e [...]

Acervo da Palmares: Saindo dos anos 70 e chegando ao século 21

No antigo acervo não são encontrados estudos e biografias sobre os grandes nomes da cultura negra do Brasil e do mundo Desde 2020, sob a liderança do presidente Sérgio Camargo, a Fundação Cultural Palmares (FCP) [...]

Renovação do acervo

O servidor público da casa, Guilherme Bruno, fez sua doação para o acervo bibliográfico da Palmares. Ocupando na Fundação o cargo de Coordenador de Disseminação de Informação no departamento do CNIRC – Centro Nacional de [...]

Presidente da Palmares participou do CPAC, o maior encontro de conservadores do mundo

Criado em 1973 pelos grupos American Conservative Union (ACU) e Young Americans for Freedom (YAF), o CPAC (Conservative Political Action Conference) é, atualmente, o maior evento conservador do Mundo. O primeiro CPAC ocorrido no Brasil [...]