Informações Quilombolas

Conforme o art. 2º do Decreto nº 4.887, de 20 de novembro de 2003, “consideram-se remanescentes das comunidades dos quilombos, para os fins deste Decreto, os grupos étnico-raciais, segundo critérios de auto-atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas, com presunção de ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida.”

São, de modo geral, comunidades oriundas daquelas que resistiram à brutalidade do regime escravocrata e se rebelaram frente a quem acreditava serem eles sua propriedade.

As comunidades remanescentes de quilombo se adaptaram a viver em regiões por vezes hostis. Porém, mantendo suas tradições culturais, aprenderam a tirar seu sustento dos recursos naturais disponíveis ao mesmo tempo em que se tornaram diretamente responsáveis por sua preservação, interagindo com outros povos e comunidades tradicionais tanto quanto com a sociedade envolvente. Seus membros são agricultores, seringueiros, pescadores, extrativistas e, dentre outras, desenvolvem atividades de turismo de base comunitária em seus territórios, pelos quais continuam a lutar.

Embora a maioria esmagadora encontrem-se na zona rural, também existem quilombos em áreas urbanas e peri-urbanas.

Em algumas regiões do país, as comunidades quilombolas, mesmo aquelas já certificadas, são conhecidas e se autodefinem de outras maneiras: como terras de preto, terras de santo, comunidade negra rural ou, ainda, pelo nome da própria comunidade (Gorutubanos, Kalunga, Negros do Riacho, etc.).

De todo modo, temos que comunidade remanescente de quilombo é um conceito político-jurídico que tenta dar conta de uma realidade extremamente complexa e diversa, que implica na valorização de nossa memória e no reconhecimento da dívida histórica e presente que o Estado brasileiro tem com a população negra.

Abaixo segue os banners para acesso as seguintes informações:

Últimas Notícias

Instituto Rosa dos Ventos e Fundação Palmares promovem oficina de Tambor de Crioula no DF

Foto: Thiago S Araújo Teve início neste sábado (12), no Centro de Tradições Populares, em Sobradinho, a Oficina de Tambor de Crioula que colocou diferentes gerações para dançar juntas. Apoiada pela Fundação Cultural [...]

O nobel da paz ao etíope Abiy Ahmed

O anúncio na sexta-feira (11) de que o escolhido como ganhador do Prêmio Nobel da Paz, em 2019, foi o primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali, merece comemorações, obviamente, pela população do país do agraciado, [...]

Gisele Gama, autora da coletânea Sara e Sua Turma, lança sua nova obra: Preto no Branco

A autora que já lançou 74 livros infantis da coleção Sara e sua Turma, traduzidos para os idiomas Espanhol, Inglês e Japonês e que abordam a temática da inteligência emocional e relacional, lançará no dia [...]

Presidente da Palmares e embaixador de Camarões se encontram para alinhar proposta do IV Fesman

O presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Vanderlei Lourenço, foi recebido nesta segunda-feira (23) por Martin Agnor Mbeng, embaixador da República de Camarões no Brasil, para tratar do IV Festival Mundial das Artes Negras (Fesman). [...]

Rota de turismo em Centro Histórico marca 190 anos da proibição dos batuques em Curitiba

Para marcar os 190 anos da proibição dos batuques e fandangos pela Câmara Municipal de Curitiba, em 24 de setembro de 1829, o Centro Cultural Humaitá realizou nesta terça-feira (24) o passeio Linha Preta. A [...]