Projeto Conhecendo a Nossa História: da África ao Brasil

A Fundação Cultural Palmares – FCP, no cumprimento de sua missão institucional de promover e preservar a cultura afro-brasileira, busca o fortalecimento de políticas públicas voltadas à cultura negra, de forma a contribuir para a construção e implementação de medidas efetivas para um país mais justo e com igualdade de oportunidades para todos. Por meio de suas ações afirmativas busca retirar da invisibilidade a cultura negra, formadora da identidade nacional, e eliminar as desigualdades históricas e as discriminações raciais, étnicas, culturais e religiosas do povo negro.

A partir da percepção de que a educação e a cultura são instrumentos decisivos para a promoção da cidadania e para a eliminação das desigualdades raciais, a FCP vem desenvolvendo, desde o ano de 2016, o projeto Conhecendo Nossa História: da África ao Brasil, construído para fomentar  o cumprimento  do artigo 26-A da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei nº 9.394/1996), que tornou obrigatório nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados, o estudo da História e da Cultura Africana e Afro-brasileira.

O projeto conta com a parceria do Ministério da Educação e das prefeituras municipais e/ou governos estaduais, por intermédio de suas secretarias de educação, cultura e promoção da igualdade racial. A participação desses entes não enseja repasse de recursos financeiros. No âmbito Federal, o Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão – SECADI, colaborou com o desenvolvimento do projeto. No tocante aos governos estaduais e municipais, esses parceiros vêm contribuindo com a logística necessária à formação dos docentes e com a indicação das escolas a participarem do projeto. Também é responsável pela indicação do Multiplicador local (profissional de educação com formação e atuação na educação das relações étnico raciais, além do conhecimento sobre a história e a cultura afro-brasileira, comprovada por meio de currículo e experiência na área).

O projeto está sendo executado a partir de duas grandes etapas:

  • A primeira etapa visa a formação docente, com o objetivo de fazer conhecer, entender e trabalhar em sala de aula a História e a Cultura Afro-brasileira e Africana e, fornecer aos/as professores/as da educação básica, ferramentas que lhes possibilitem identificar e corrigir estereótipos e conceitos equivocados nos materiais didáticos e paradidáticos e nas práticas pedagógicas que reforçam desigualdades.
  • A segunda fase tem como objetivo o trabalho, em sala de aula, destes professores, utilizando materiais didáticos e paradidáticos que abordam a temática, entre os quais, o material disponibilizado por esta Fundação: o livro “O que você sabe sobre a África? Uma viagem pela história do continente e dos afro-brasileiros”. Ainda nesta etapa, os/as educadores/as terão o importante papel de pautar temas voltados ao respeito às diferenças e à promoção da igualdade racial.

COMO ADERIR!!!

A partir de 2018 a parceria vem sendo realizada por meio de Termo de Adesão. Para aderir ao projeto, o município/estado deverá encaminhar a solicitação pelo  e-mail: conhecendonossahistoria@palmares.gov.br

CURIOSIDADES!!!

O projeto CONHECENDO NOSSA HISTÓRIA: DA ÁFRICA AO BRASIL, encontra-se no Banco de Projetos do Portal de Convênios do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão configurando como o terceiro mais acessados do Governo Federal, clique aqui!


RESULTADOS DO PROJETO – 2017/2018

  • 70 mil livros e 70 mil revistas Coquetel disponibilizados para o projeto
  • 43 Municípios atendidos
  • 534 professores formados, com carga horária mínima de 60 horas
  • 414 escolas participantes
  • Investimento Palmares: R$ 2.451.544,00 



MUNICÍPIOS PARTICIPANTES

NORTE: Macapá-AP / Santana-AP / Oiapoque-AP / Tartarugalzinho-AP

NORDESTE: Salvador-BA / Santo Amaro da Purificação-BA / Vera Cruz-BA / Bom Jesus da Lapa-BA / Candeias-BA / Simões Filho-BA / São Francisco do Conde-BA / Juazeiro-BA / Maceió-AL / União dos Palmares-AL / Arapiraca-AL / Batalha-AL / Monteirópolis-AL / Palmeira dos Índios-AL / Pão de Açúcar-AL / Passo de Camaragibe-AL / Penedo-AL / São José da Tapera-AL / Teotônio Vilela-AL / Santa Luzia do Norte-AL / Palestina-AL / Traipu-AL / Belém-AL / Delmiro Gouveia-AL / Boca da Mata-AL / Marechal Deodoro-AL / João Pessoa-PB / Campina Grande-PB

CENTRO-OESTE:  Campo Grande-MS / Aparecida de Goiânia-GO

SUDESTE: Vila Velha-ES / Cariacica-ES / Serra-ES / Colatina-ES / Ouro Preto-MG / Contagem-MG / Congonhas-MG / São Gonçalo-RJ / Paraty-RJ / Campos dos Goitacazes-RJ / São Francisco de Itabapoana-RJ / Quissamã-RJ

SUL: Florianópolis-SC / Pelotas-RS

Vídeos:


Presidente da FCP: Erivaldo Oliveira da Silva

Profa Mestre Eliane Boa Morte

Prof. Mestre Zezito de Araújo
                     

Municípios Participantes:

Últimas Notícias

Você já ouviu falar sobre a Revolta dos Malês?

A Revolta dos Malês foi uma das inúmeras lutas pela liberdade, promovidas por negros escravizados durante o Período Regencial (interregno entre a abdicação de D. Pedro I e o chamado “Golpe da Maioridade”, quando seu [...]

15 de janeiro de 1929: nascia em Atlanta, Martin Luther King Jr.

Em 15 de Janeiro de 1929 nascia Martin Luther King Jr., na cidade de Atlanta (EUA). Filho e neto de pastores protestantes batistas fez seus primeiros estudos em escolas públicas segregadas e graduou-se no prestigiado Morehouse College, em [...]

Hoje nascia André Rebouças – O engenheiro abolicionista

André Pinto Rebouças nasceu na cidade de Cachoeira – BA, em 13 de janeiro de 1838, filho mais velho de Antônio Pereira Rebouças e Carolina Pinto Rebouças. Possuía sete irmãos. Embora vivendo no século XIX, [...]

Presidente Erivaldo fala sobre as metas da Fundação Cultural Palmares para o ano de 2019.

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Erivaldo Oliveira falou nesta sexta feira (11) as pretensões, metas e objetivos para FCP no de 2019 No primeiro semestre do ano terá o lançamento da segunda edição do [...]

16 anos da Lei 10639/2003

A Lei 10.639, de 2003, promoveu importante mudança de perspectiva na educação do país, com entrada em vigor da obrigatoriedade do ensino da história e da cultura afro-brasileira e africana. Nesta terça-feira, 9 de janeiro, [...]