UNA-SUS abre matrículas para mais uma turma do curso Saúde da População Negra

Divulgação: UNA-SUS

A Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS) já está com matrículas abertas para a nova turma do curso online sobre Saúde da População Negra. Profissionais de saúde e demais interessados no tema podem se inscrever até 8 de novembro, pelo link.

A capacitação é uma ação do Ministério da Saúde, por meio das Secretarias de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP). Produzido pela Secretaria Executiva da UNA-SUS, o curso é pautado na Política Nacional da Saúde Integral da População Negra (PNSIPN) e aborda temas que impactam no atendimento da população no SUS, como o racismo institucional.

O objetivo é fornecer subsídios aos profissionais de saúde para que possam atuar pela perspectiva do cuidado centrado na pessoa e na família, com base nas instruções da diretriz. Assim, o curso possibilita a ampliação dos conhecimentos para promover um atendimento integral e adequado às especificidades de saúde da população negra.

De maneira mais abrangente, pretende-se alertar aos profissionais de saúde para que, em sua rotina de trabalho, identifiquem as iniquidades étnico-raciais que impactam sobre a saúde da população negra, monitorem e avaliem os resultados das ações para prevenção e combate dessas iniquidades.

Para Secretária da SGEP, Gerlane Baccarin, a iniciativa para criação do curso surgiu da necessidade de implementação de ações de educação permanente específicas para atender às populações socialmente mais vulneráveis e em situação de iniquidade no acesso à saúde. “Este curso é uma possibilidade de democratização do saber e do fazer para profissionais da área de saúde na formação, pois, enquanto estratégia auxilia na tomada de consciência dos avanços promovidos na área de conhecimento, gerando processos continuados de acesso a informação”, afirma Baccarin. Para a secretária, a educação a distância com essa temática impulsiona o crescimento, nos sentidos político-sociais, econômicos, pedagógicos e tecnológicos dos profissionais de saúde.

DEPOIMENTOS – A identificação com o tema foi a maior motivação para a estudante de psicologia Alice Santos, que é negra e faz estágio em uma equipe de saúde da família em Santa/RS, realizar o curso. Para ela, todos os conteúdos abordados são extremamente pertinentes e pouco divulgados, tanto para estudantes e profissionais, quanto para a população em geral. Alice destaca a agregação de conhecimento sobre a Política Nacional de Saúde da População Negra como um dos principais aprendizados. “Pude perceber como nossas matrizes podem ser preservadas no meio de saúde pública, respeitando nossa ancestralidade e religiosidade, especificidades que são muitas e, inclusive, causas de questões históricas que envolvem, muitas vezes, uma tríade de raça, classe, gênero e até outras questões, além de pensar em manejo e instrumentalização para lidar com racismo institucional”, afirma.

Para a ex-aluna do curso e articuladora de rede intersetorial de/sobre álcool e outras drogas no Projeto Redes (Fiocruz/Senad), Edna Mendonça, a discussão acerca dos determinantes sociais como fatores de exclusão e dificultadores do acesso à saúde da população negra favoreceu o seu entendimento sobre como o racismo se apresenta no campo da saúde e os prejuízos causados por ele aos usuários do SUS. “Tal aprendizado favoreceu a reflexão sobre as práticas de cuidado em saúde e a importância da participação social para a implementação das políticas públicas locais, regionais e/ou nacionais”, conta. “A possibilidade de ampliação do olhar acerca do racismo e sobre as condições de vida da população negra no Brasil nos faz trabalhar para que a implementação dessa política pública se efetive e o acesso à saúde seja de fato igualitário. Tais conteúdos vão muito além das questões técnicas e biomédicas, pois norteiam todo o cuidado em saúde”, afirma.

A nutricionista Deborah Albuquerque atesta que a qualidade do material oferecido foi excelente. “O assunto foi abordado de maneira extremamente didática, o que facilitou a compreensão e contribuiu para aquisição de conhecimento permanente, com questões práticas e cotidianas”, destaca.

O CURSO EM NÚMEROS – Saúde da População Negra é uma das ofertas mais populares da UNA-SUS. Lançada em 2014, a capacitação teve 31.630 matrículas e 3.099 profissionais certificados nas suas quatro turmas anteriores.

Os estados com maior número de inscrições foram São Paulo (2.509), Bahia (2.265) e Minas Gerais (1.720).

Para saber mais sobre esses e outros cursos da UNA-SUS acesse: www.unasus.gov.br/cursos.

Fonte: SE/UNA-SUS

De |setembro 6th, 2017|Destaque, Notícia, Secundária|Comments Off on UNA-SUS abre matrículas para mais uma turma do curso Saúde da População Negra