Serra da Barriga Patrimônio do Mercosul é tema de comemorações do Dia da Consciência Negra

Fato mais relevante para a cultura afro-brasileira em 2017, o título de Patrimônio Cultural do Mercosul, dado à Serra da Barriga, no município de União dos Palmares, em Alagoas, é o tema das comemorações do Dia da Consciência Negra (20 de novembro). A Fundação Cultural Palmares (FCP), que liderou o movimento em favor da conquista, preparou uma programação especial para celebrar o prêmio, concedido Comissão do Patrimônio Cultural do Mercosul.

A exposição Ícones Negros, realizada na Galeria do Senado e Espaço Cultural Senador Ivandro Cunha Lima, em Brasília, já integra a programação do 20 de novembro. Trinta e seis obras do artista goiano Selvo Afonso retratam personalidades como Nelson Mandela, Martin Luther King, Daiane dos Santos, Cartola, Gilberto Gil e Zumbi dos Palmares. Realizada pela Associação Pérola Negra, com apoio da Fundação Palmares, a mostra pode ser visitada até 15 de outubro, das 8h às 17h, com entrada gratuita.

O título foi concedido no dia 30 de maio. A Fundação Palmares produziu um dossiê detalhado sobre a Serra. O documento, fundamental para a escolha da região como Patrimônio Cultural, reúne dados geográficos, históricos, culturais, legais, econômicos e turísticos.

No passado, a Serra da Barriga, então situada na Capitania de Pernambuco, abrigou o célebre Quilombo dos Palmares, território criado por negros que escaparam da escravidão nos engenhos de açúcar. Com auge no século 17, Palmares foi palco de luta e resistência pela liberdade, principalmente sob a liderança de Zumbi dos Palmares. Após anos de duras batalhas, o Quilombo dos Palmares acabou caindo. Zumbi foi morto no dia 20 de novembro, data que se tornou símbolo para a população afro como Dia da Consciência Negra.

Para o presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), Erivaldo Oliveira, manter viva a memória dos heróis do antigo quilombo ajuda a lembrar que muito ainda precisa ser feito para que o negro conquiste seu devido lugar na sociedade brasileira, permeada pelo racismo e o preconceito. “O reconhecimento da Unesco e do Mercosul consagram o respeito que dedicamos aos nossos ancestrais, que deram suas vidas pela liberdade”, afirma o presidente.

Na opinião de Erivaldo Oliveira, o prêmio reforça a necessidade de se preservar a cultura afro-brasileira, marginalizada e até perseguida, como se verifica nos atentados a terreiros, sintoma da intolerância religiosa. “Além de valorizar os quilombolas que vivem nesta área, iniciativas como esse título contribuem para reparar uma violência histórica cometida contra nosso povo e nos inspiram a continuar na superação dos obstáculos”, destaca Erivaldo.

União dos Palmares

 Conhecido como Terra da Liberdade, o município de União dos Palmares fica na Zona da Mata alagoana. Possui população de mais de 60 mil pessoas e área de aproximadamente 427 quilômetros quadrados. Na cidade, está localizado o Quilombo de Muquém, em uma área de 20 hectares e com cerca de 500 habitantes. Os quilombolas de Muquém sobrevivem da lavoura e do artesanato em peças de barro.

Além do Parque Memorial Quilombo dos Palmares, instalado na Serra da Barriga, a localidade possui diversas atrações turísticas. O roteiro cultural inclui a Casa Jorge de Lima, museu dedicado a este poeta, e a Casa de Maria Mariá, na residência em que viveu a historiadora. Os turistas ainda têm à disposição cachoeiras e trilhas na Mata Atlântica, em um verdadeiro tour histórico-ambiental.

Parque Memorial

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares foi implantado em 2007, em um platô no alto da Serra da Barriga, que está localizada em União dos Palmares O local recria o ambiente da República dos Palmares, maior e mais organizado refúgio de negros das Américas durante o período escravocrata. O quilombo também abrigou índios e brancos.

O Parque reconstitui algumas das mais significativas edificações do Quilombo dos Palmares. Com paredes de pau-a-pique, cobertura vegetal e inscrições nos idiomas banto e iorubá, avista-se o Onjó de farinha (Casa de farinha), o Onjó Cruzambê (Casa do Campo Santo), o Oxile das ervas (Terreiro das ervas), as ocas indígenas e a Muxima de Palmares (Coração de Palmares).

O programa Caminhos da Reportagem, da TV Brasil, exibe em novembro (com data ainda a ser definida) uma matéria sobre a Serra da Barriga, em homenagem ao Dia da Consciência Negra. O especial destaca imagens da região, depoimentos de moradores e uma entrevista com o presidente da Fundação Palmares, Erivaldo Oliveira. O programa vai ao ar todas as segundas-feiras, às 22h.

 

 

De |outubro 6th, 2017|Banner, Notícia|Comments Off on Serra da Barriga Patrimônio do Mercosul é tema de comemorações do Dia da Consciência Negra