Cultura para erradicação da miséria entra na pauta do governo

Foto: Joceline Gomes / FCP

Eloi Ferreira, Claudinei Pimentel Mota (Pirelli), Martvs das Chagas e Benedita da Silva compõem a mesa

Por Daiane Souza

A apresentação de ideias e propostas para a erradicação da extrema pobreza no Brasil marcou o último dia do Seminário Nacional – A cultura como veículo de erradicação da miséria. A criação da Feira Nacional de Cultura Afro-brasileira, de um setor ou órgão de referência nacional específico ao tratamento da Lei n° 10.639, o mapeamento de quilombos e terreiros, a criação de bibliotecas temáticas, capacitação para a auto-sustentabilidade e oficinas culturais foram algumas das demandas apresentadas pelos grupos de trabalho. O próximo passo será a avaliação das propostas para encaminhamento por parte da Fundação Cultural Palmares a outros órgãos do governo federal. 

Na plenária final do seminário, a deputada federal Benedita da Silva (PT/RJ) parabenizou a FCP pelos anos de assistência ao movimento negro e por promover o debate sobre a questão racial no país. “Em 23 anos a Fundação Cultural Palmares fez grandes conquistas em nome da população negra”, afirmou. 

Durante a exposição dos grupos de trabalho, formados por participantes de aproximadamente oito estados, Patrícia de Oxum ressaltou que os lugares mudam, mas os problemas são os mesmos. Um exemplo é o genocídio a jovens negros que, de acordo com o Mapa da Violência de 2011, é mais que o dobro das mortes violentas de jovens brancos. 

O mesmo estudo mostra que as taxas mais altas de homicídio foram registradas nos estados de Alagoas e da Paraíba. Em Alagoas, a cada jovem branco assassinado morrem proporcionalmente mais de 13 negros. Na Paraíba, a cada jovem branco assassinado, 20 negros são vítimas de homicídio. Para mudar este cenário de extermínio, os grupos colocaram entre as propostas a Fundação Palmares como mediadora do combate à violência contra pretos e pardos. 

Cultura pela causa negra _ Segundo Martvs das Chagas, diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira da FCP, o seminário cumpriu seu papel de colocar a cultura da população negra na pauta do governo para os programas e políticas de erradicação da miséria. Segundo ele, as propostas serão implementadas de acordo com as possibilidades da instituição. 

Eloi Ferreira de Araujo, presidente da Fundação Palmares, encerrou o evento garantindo que a pauta resultante será encaminhada e discutida com os demais órgãos do governo. Para ele, o Seminário Nacional – A cultura como veículo de erradicação da miséria foi apenas o primeiro dos muitos debates que serão realizados na busca de soluções para a eliminação da pobreza. “Incluímos a cultura na luta por uma causa. A responsabilidade que nos trouxe até aqui nos obriga a pensar outras ações dessa natureza para que tenhamos resultados mais concretos e positivos”, concluiu.

De |agosto 19th, 2011|Notícia|Comments Off on Cultura para erradicação da miséria entra na pauta do governo