Skinhead é condenado a 31 anos de prisão em São Paulo

Daiane Souza

O skinhead Vinícius Parizatto, apontado como um dos que obrigaram dois jovens a saltar de um trem em movimento em dezembro de 2003, foi condenado a 31 anos, 9 meses e 3 dias de prisão na madrugada desta quinta-feira (29), em Mogi das Cruzes, no estado de São Paulo. Julgado pelos crimes de homicídio e tentativa de homicídio, o rapaz foi considerado responsável pela morte de Cleiton da Silva Leite e pela perda de um dos braços de Flávio Augusto do Nascimento Cordeiro.

Durante o julgamento que durou cerca de 14 horas, foram ouvidas cinco testemunhas e em seguida o réu se julgou inocente. O processo levou em consideração a atitude de Vinícius e de seus dois companheiros – Juliano Aparecido de Freitas e Danilo Gimenez Ramos – em ameaçar os garotos no vagão e o fato de os skinheads serem conhecidos por pregar a discriminação contra negros, homossexuais, judeus e nordestinos.

De acordo com a Promotoria, skinheads e punks se consideram inimigos por uma questão de ideologia e na noite do crime, Cleiton e Flávio teriam sido confundidos com punks por estarem vestidos com camisetas de bandas e cabelos espetados com gel. Para Olivina Rosa da Silva Leite, mãe de Cleiton, a cor da pele de seu filho pode ter sido um agravante para que tudo acontecesse.

Os acusados usavam coturnos, jaquetas e calças com detalhes militares, tinham as cabeças raspadas e estavam armados com machadinha e tchaco, arma branca composta por bastões ligados por uma corrente. Ainda de acordo com a Promotoria, os agressores gritaram aos jovens “ou pula ou morre”. Com medo de serem mortos dentro do vagão, os dois saltaram com o trem em movimento.

De acordo com a decisão da juíza Renata Vergara Emmerich de Souza, que conduziu o julgamento, Vinícus poderá recorrer em liberdade. Ela considera que o rapaz não constitui risco para a ordem pública, o fato do mesmo ser réu primário e não registrar maus antecedentes. Em maio deste mesmo ano Juliano, comparsa de Vinícius foi condenado a 24 anos e seis meses de prisão. O terceiro acusado aguarda para ser julgado.

De |setembro 29th, 2011|Notícia, Secundária|Comentários desativados em Skinhead é condenado a 31 anos de prisão em São Paulo