Rio de Janeiro: carnaval e desenvolvimento econômico são temas de intercâmbio


A economia do Carnaval tornou-se vital ao desenvolvimento econômico, a preservação e ao fortalecimento cultural. A conclusão foi do presidente da Fundação ACUA (Activos Culturales Afro), David Soto, em sua participação no Intercambio Internacional Carnaval: Identidade negra e economia criativa, realizado de 14 a 16 de fevereiro, pela Fundação Cultural Palmares, no Rio de Janeiro.

O encontro teve como foco o intercambio entre o Brasil e países  na América Latina, África e Caribe no debate a respeito do Carnaval. A proposta foi fortalecer as ações dos grupos representados, direcionando-os para a Economia Criativa e a formulação de políticas públicas específicas.

De acordo com Lindivaldo Júnior, diretor do Departamento de Fomento à Cultura Afro-brasileira da FCP, a ideia é romper os limites do apoio financeiro e aprofundar a reflexão e o conhecimento sobre os aspectos das tradições, raízes, identidades, valores sociais, elementos religiosos, da expressão de ideias e pensamentos que dão significado ao Carnaval.

Lindivaldo Junior também enfatizou a importância da parceria firmada com a Fundação ACUA (Activos Culturales Afro), sediada na Colômbia: “A parceria com a ACUA foi selada em gestões anteriores da Fundação Cultural Palmares, e mais uma vez dá frutos, com a realização deste Seminário”.

Na mesma linha de pensamento, o presidente da ACUA, David Soto,  reforçou o sucesso da parceria com a FCP no sentido de conceber o Seminário e colocá-lo em prática: “Da ideia de colocar em cena os valores e a importância das festas populares de origem africana surgiu esta valiosa troca de experiências”, disse. Ele ressaltou ainda, a presença dos que considerou os mais relevantes representantes desses segmentos, em termos de organização, promoção e potencialidade econômica do Carnaval.

Reencontro com a identidade – A Zona Portuária do Rio de Janeiro foi ponto de entrada de um grande contingente de africanos escravizados no Brasil, assim como de expressiva concentração social e cultural da população negra, que ali acabou por formar o núcleo que ficou conhecido como Pequena África.

Não por acaso, foi a região escolhida para dar as boas-vindas aos participantes do Seminário Internacional Carnaval: Identidade negra e economia criativa. Ali – entre muitos outros símbolos da história e da cultura afro-brasileiras, como o Cais do Valongo e a Pedra do Sal – está instalado, sobre as ruínas do que foi um cemitério de escravizados recém-chegados, o Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos (IPN), onde a comitiva foi recepcionada com a apresentação de uma parte da história da ancestralidade negra.

Atividades paralelas ao Seminário – Como parte da programação paralela, a primeira roda de conversas do seminário aconteceu na manhã do último sábado, no Centro Cultural Cartola, onde a diretora Nilcemar Nogueira apresentou fatos sobre a história do samba e do samba-enredo.

Neta de Dona Zica e Cartola, o casal mais emblemático da escola de samba Estação Primeira de Mangueira – Nilcemar é considerada uma guardiã da memória do samba carioca e mantém no centro cultural um verdadeiro museu do samba, com duas exposições permanentes: uma sobre o compositor que dá nome ao local e outra sobre a história do samba.

A troca de experiências continuou à tarde, desta vez com o tema blocos afro e afoxés, na sede da federação de mesmo nome, localizada na Lapa, outro reduto cultural carioca. Encerrando o primeiro dia da programação, os participantes do seminário foram conhecer a Passarela do Samba, onde assistiram ao ensaio técnico das escolas Portela e Imperatriz Leopoldinense.

No domingo, uma visita à Cidade do Samba, que reúne os barracões das escolas, onde são confeccionados os carros alegóricos, deixou o grupo encantado. A programação carioca terminou com muito samba no Renascença Clube, o primeiro clube social negro da cidade do Rio de Janeiro e que este mês está completando 63 anos de fundação.

Continuidade – Teve início nessa terça-feira (18) a edição do Seminário Internacional Carnaval, Identidade Negra e Economia Criativa que acontece em Recife/PE. É a oportunidade para conhecer mais sobre a produção carnavalesca no Benin e Angola e as referências que a ancestralidade africana torna possível no Brasil, Colômbia, Trinidad & Tobago, Barbados e New Orleans (EUA).

Esta edição segue até a quinta-feira (20) e será seguida de edição em Salvador, prevista para 21 a 23 de fevereiro. Confira a programação para o segundo dia do evento em Pernambuco:

20 de Fevereiro (quinta-feira)

Seminário

Local: Auditório da CFCH – Universidade Federal de Pernambuco na Av.Prof. Moraes Rego, 1235, Cidade Universitária – Recife

Mesa 1 – 9h-12h
Carnaval e Identidade Negra
Fala Motivadora: Martha Rosa Queiroz  (FCP)
* Colômbia: Sr.Ramon Cuesta Valencia
* Nova Orleans: Cherice Harrison
* Trinidad e Tobago: Ingrid Ruben
*Barbados:  SrªAndrea Wells, Secretária de Cultura
*Angola: Ródão Ferreira
*Coordenação: Kátia Santos- Assessora Internacional FCP

Mesa 2 – 14h-16h
Carnaval Negro no Brasil: relatos de experiências
Fala motivadora: Helena Theodoro
Antonio Carlos (Vovô)-Bloco Afro  IlêAiyê
Mestre Afonso- Maracatu Leão Coroado
Ana Amélia Bandeira -Akomabu
Kaxito Ricardo Campos – Presidente da União das Escolas de Samba de São Paulo
Rubem Confete – MANGUEIRA
Maria José – UNISAMBA
Coordenação – Diretor Lindivaldo Junior (FCP – MinC)

Mesa 3 –16:30h-18:30h
Desafios de uma Política que valorize a tradição cultural negra.
Fala Motivadora: Hilton Cobra
André Brasileiro – Diretor de Políticas Culturais do Estado de Pernambuco
Antônio Albino Canelas Rubim, Secretário de Cultura da Bahia
Gilson Matias – Chefe da Representação regional MinC Nordeste
Monica Oliveira – Diretora de Programas da Secretaria de Ações Afirmativas – SEPPIR/PR
Deputada Estadual Tereza Leitão
Sr. Melvin Francisco Almonacid Ramirez – PERU (Museu Afro Peruano)
Coordenação: Lucio Rodrigues – MinC Regional do Nordeste

Mesa 4 – 19h-20h
Cadeia Produtiva do Carnaval
Fala motivadora: Paulo Ferreira (Dep. Federal do Rio Grande do Sul)
Isadora Tami -Coordenadora da Secretaria de Economia Criativa
Leandro Salazar – Consultor SEBRAE-PE
Sra..Lelie Joanna Valoyes Cuesta – Colômbia – (Figurinista de Festa Carnavalesca de San Pacho
Coordenação – Davi Soto

De |fevereiro 18th, 2014|Notícia, Secundária|Comments Off on Rio de Janeiro: carnaval e desenvolvimento econômico são temas de intercâmbio