Ministério Público vai apurar denúncia de racismo de conselheiro gremista

Manifestação foi feita com comentários sobre polêmica envolvenda Maxi López e jogador do Cruzeiro.

Porto Alegre – A Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos de Porto Alegre instaurou inquérito civil para averiguar uma denúncia recebida na manhã desta quarta-feira de que um conselheiro do Grêmio teria proferido termos racistas durante um programa de rádio na última segunda. A manifestação teria como alvo o jogador Elicarlos, do Cruzeiro, que amanhã decide a vaga para a final da Copa Libertadores com o Tricolor.

No depoimento prestado nesta manhã, na sede do Ministério Público, o presidente da Associação Comunitária Rosa Osório Marques ? Quilombo Morro Alto, Wilson Marques da Rosa, acompanhado pelo advogado do Movimento Negro Unificado, Onir de Araújo, relatou que, no programa, o conselheiro do Grêmio passou a incentivar que os ouvintes chamassem os negros de “macacos”. Ele também disse que os próprios torcedores do Inter chamam-se de “macacos” entre si. Os depoentes revelaram que o conselheiro teria, inclusive, incentivado que quando Elicarlos estivesse com a posse da bola os torcedores o ofendessem.

Conforme Marques, com base nessa introdução de cunho racista, o denunciado teria passado a desferir ataques pouco qualificados às políticas de cotas. Os depoentes afirmaram ao MP que, no mesmo programa, o conselheiro gremista teria incentivado o torcedor tricolor a “se referir à mãe do jogador como se refere à mãe dos juízes”. Ele teria insinuado, igualmente, que um negro não ocuparia cargo de dirigente do Grêmio ou do Inter. Wilson Marques frisou que esta não é a primeira vez que o mesmo conselheiro do Grêmio se manifesta nos meios de comunicação de maneira racista.

A promotora de Justiça Míriam Balestro Floriano informou que irá investigar o caso “sob a ótica dos direitos humanos”. Para isso, requisitou que a emissora de rádio encaminhe cópia do programa citado, onde será examinada a contextualização dos fatos. Além disso, solicitou a instauração de inquérito policial à Delegacia de Polícia e remessa de cópias à Promotoria de Justiça Criminal. O Grêmio será oficiado para que preste esclarecimentos. Da mesma forma, será encaminhado ofício à Comissão de Ética da OAB/RS para conhecimento acerca das declarações prestadas perante o Ministério Público.

“É preciso investigar-se com precisão qualquer denúncia que atente contra a dignidade da pessoa humana e, ainda, incite a transgressão da almejada paz nos estádios”, finalizou Míriam

Diário de Canoas

De |julho 3rd, 2009|Notícia|Comentários desativados em Ministério Público vai apurar denúncia de racismo de conselheiro gremista