Nesta segunda, dia 3, comemora-se o Dia do Capoeirista

O dia do capoeirista é celebrado hoje, 3 de agosto, uma data que se popularizou por todo o Brasil. Esta data ainda não é nacionalizada, apesar de existirem Projetos de Lei em tramitação no Congresso Nacional. Alguns estados e municípios têm leis semelhantes que instituem, em datas distintas, o dia do capoeirista, o dia da capoeira ou a semana municipal da capoeira, como é o caso do Rio de Janeiro, do Ceará, de Fortaleza, de Florianópolis e de Porto Alegre.

Trazida nos porões dos navios negreiros, pelos negros escravizados, passando pelas senzalas; a capoeira Angola, contemporânea, capoterapia, aero capoeira, maculelê, dança afro, samba de roda, acrobacias e saltos, puxada de rede, capoeira, musicalidade e muitas rodas são algumas das atividades alusivas à data comemorativa.  Com a chegada da República, (1889), o Marechal Deodoro da Fonseca iniciou uma campanha de combate à capoeira. A Lei 487 tratava “dos vadios capoeiras”, com pena, de dois a seis meses de trabalho forçado na Ilha de Fernando de Noronha. Somente quarenta anos depois, o presidente Getúlio Vargas, veio a liberar a capoeira.

Por iniciativa do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e do Ministério da Cultura, a capoeira foi reconhecida, em de julho de 2008, como patrimônio cultural imaterial brasileiro. Entendem-se por patrimônio cultural imaterial as representações da cultura afro-brasileira, as práticas, a forma de ver e pensar o mundo, as cerimônias (festejos e rituais religiosos), as danças, as músicas, as lendas e contos, a história, as brincadeiras e modos de fazer (comidas, artesanato), junto com os instrumentos, objetos e lugares que lhes são associados – cuja tradição é transmitida de geração a geração pelas comunidades tradicionais brasileiras.

Para a presidenta da Fundação Cultural Palmares, Cida Abreu, “a inclusão do ofício dos mestres da capoeira no Livro dos Saberes e da roda de capoeira no Livro das Formas de Expressão possibilita elaborar políticas públicas para preservar e garantir a autonomia dos mestres”, enfatizou. Neste contexto, estão previstos: o plano de previdência especial para os velhos mestres; o estabelecimento de um programa de incentivo desta manifestação no mundo; a criação de um Centro Nacional de Referência da Capoeira e o plano de manejo da biriba – madeira utilizada na fabricação do instrumento.

O batizado – É o mais importante ritual, comandado pelo capoeirista mais graduado do grupo, o mestre, contramestre ou professor. Os alunos jogam com um capoeirista formado e devem tentar se defender. Desta forma, os alunos novos recebem sua primeira corda e demais alunos podem passar para graduações superiores. É um dos momentos mais honrosos para o capoeirista.

A capoeira passou a ter destaque, importância e reconhecimento na agenda política, social e cultural no Brasil e em mais de 150 países. Possibilitando, assim, que os ensinamentos deste patrimônio milenar, cultural e imaterial afro-brasileiro sejam transmitidos de geração a geração.

De |agosto 3rd, 2015|Notícia, Secundária|Comments Off on Nesta segunda, dia 3, comemora-se o Dia do Capoeirista