Superação do passado: Sem dívida histórica e olhando para o futuro

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, participou do segundo “Congresso Conservador: Liberdade e Democracia”, o maior evento do gênero no sul do Brasil, ocorrido em novembro último.

Presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo ao lado de
Dom Bertrand, príncipe Imperial do Brasil

O “Congresso Conservador: Liberdade e Democracia” foi dividido em três dias. No dia 13 houve o “Sunset em Jurerê Internacional”, para recepcionar a todos os convidados; no dia 14 ocorreu o Congresso propriamente dito; e no dia 15 foi a vez do “Encontro Náutico Verde Amarelo”.

As palestras e debates do dia 14 ocorreram no Teatro da Arena Multiuso em São José, na grande Florianópolis (SC ), e contaram com a presença de importantes nomes do conservadorismo nacional. Lá estiveram, entre tantos outros, Alexandre Garcia, Abraham Weintraub, Ernestro Araújo, Ricardo Salles, Percival Puggina, Bia Kicis, Paulo Figuereido, Canal Hipócritas, Capitão Derrite e Marcos Pollon.

A cerimônia de abertura foi às 8h30, com a execução do Hino Nacional. Em seguida, iniciou-se a série de conversas e palestras envolvendo temas centrais do debate nacional. Bia Kicis, Coronel Armando e Paulo Martins falaram sobre a necessária divisão dos Três Poderes. Já Marcos Pollon e Guilherme Derrite abordaram temas como armamento, segurança pública e liberdade. Os outros temas foram desde a pandemia até a formação de bases conservadoras.

A última “mesa” do Congresso foi dividida pelo honorário príncipe imperial do Brasil, Dom Bertrand, e pelo presidente da Fundação Palmares. O tema da conversa foi “Um Renascer do Brasil Autêntico – Homenagem à Princesa Isabel”.

Em sua fala, Camargo destacou a importância de brancos e negros viverem unidos e sem ressentimentos: “Temos que olhar para o futuro do Brasil. Somos um só povo e não seremos divididos pela esquerda racista. Negros decentes e honrados do Brasil têm sentimento de gratidão pela Princesa Isabel. Ela sancionou a abolição da escravidão. Hoje, o movimento negro marxista tenta escravizar e subjugar mentes negras, e tentam destruir o legado da Redentora”.

Esta foi a segunda vez que o presidente da Palmares participou de um evento conservador. Sua estreia foi no famoso CPAC, organizado pelo deputado Eduardo Bolsonaro, na edição de setembro, ocorrida em Brasília (DF). E esta também não foi a primeira vez que Dom Bertrand e Sérgio Camargo se encontraram. Recentemente, o Príncipe visitou a sede da Fundação Cultural Palmares.

Por Fundação Cultural Palmares

De |novembro 16th, 2021|Destaque, Notícia|0 Comentários