Palmares participa de evento na Serra da Barriga em Alagoas

A instituição é responsável pela guarda, preservação, e proteção do sítio arqueológico. O evento ocorrido no dia 20 de novembro, o qual anualmente reúne pessoas de todo o Brasil e do exterior contou com a visita de pelo menos 2500 pessoas

Integrantes da Fundação Cultural Palmares estiveram no Parque Memorial Quilombo dos Palmares, localizado na Serra da Barriga, em União dos Palmares (AL), para acompanhar as diversas atividades culturais ocorridas por ocasião do dia 20 de novembro. O evento que anualmente reúne pessoas de todo o Brasil e do exterior contou com a visita de pelo menos 2500 pessoas na data principal, as quais prestigiaram a programação.

A Fundação Palmares é responsável pela guarda, preservação, e proteção do sítio arqueológico. O objetivo da atual gestão é incentivar as visitações, fomentando a valorização da cultura negra, bem como, potencializar o crescimento econômico da região. O 20 de novembro, é a data com a maior visitação pública devido às celebrações de atividades como música; jogos de capoeira; Artesanato; Dança; Teatro; Leitura e culinária tradicional.

Estiveram presentes, o Diretor do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro (DPA), Marco Antônio E. da Silva; A Coordenadora/DPA, Valéria Monteiro; A Coordenadora Geral de Gestão Estratégica, Conceição Barbosa; A Procuradora Federal junto a FCP, Ludmila Rolim Gomes; O Coordenador de Articulação e Apoio às Comunidades Remanescentes dos Quilombos, Murilo Botelho e a Assessora Técnica de Comunicação, Raila Alves.

O Parque Memorial Quilombo dos Palmares — Gerido pela Fundação Palmares, Começou a receber visitações públicas ainda em 2007, ano em que foi fundado. A Serra, tombada pelo Instituto Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1985, é uma área de 27,92 Km² e abrigou nos anos 1600, o Quilombo dos Palmares. Hoje, é também reconhecida como Patrimônio Cultural do MERCOSUL desde 2017.

Nos dias que antecederam o evento, a equipe de servidores da Fundação Palmares conversou com alguns moradores da área do Parque, a fim de conhecer como eles fazem para preservar o patrimônio histórico. Jéssica Lemos residente da Serra afirmou que após realizar o curso sobre Educação Ambiental, a forma de descartar lixo mudou entre todos os integrantes da família.

“Antes do curso, nós não tínhamos a preocupação de separar corretamente o lixo. Confesso que fazíamos isso de qualquer jeito. Hoje, nós temos todo o cuidado na hora de separar porque faz a diferença para o meio ambiente. Dependendo do alimento, a gente faz até adubo. Estou repassando o que aprendi para os meus filhos, não queremos desperdiçar nada. ” Afirmou.

Em articulação com as autoridades locais, Palmares garantiu que evento fosse feito com segurança

Como já mencionado, a Fundação Cultural Palmares foi responsável pela guarda, preservação e proteção da Serra da Barriga e seu entorno, no intuito de manter a ordem e a organização durante a costumeira visitação do grande público naquele espaço.  A missão dos servidores presentes foi de contribuir para as ações necessárias ao recebimento do citado público, em especial no dia 20 de novembro, para tratar previamente de diálogo com os entes públicos para estabelecer estrutura e regras para tal atendimento, para garantir de presença do Corpo de Bombeiros, Secretarias de Saúde municipal e estadual e da presença da Polícia Militar e Guarda Municipal.

Além disso, a equipe também orientou previamente os guardas e o pessoal de limpeza que trabalham na Serra da Barriga, no Município de União dos Palmares, quanto as formas corretas de atendimento ao público e na abordagem de orientação quanto aos protocolos da Covid-19.

A Palmares também oficiou todos os órgãos do Município de União dos Palmares, bem como os órgãos do Estado de Alagoas envolvidos, quanto a necessidade de sua presença para dar suporte ao atendimento do elevado número de visitantes à Serra da Barriga na ocasião.

Investimento chega direto na fonte

 Com o objetivo de contribuir com a cultura negra, a Palmares está com quatro editais abertos em todo o Brasil, a fim de promover o desenvolvimento de atividades como música, arte, dança, artesanato e literatura. Os editais são uma forma de acesso democrático aos recursos disponíveis, assim como de incentivar os cidadãos a exporem seus talentos e trabalhos, muitas vezes, não valorizados pelos movimentos partidários.

“A atual gestão, no cumprimento da legislação vigente, tem a preocupação de investir de forma direta no cidadão que produz sua arte. Muitas vezes esses artistas não são valorizados da forma que deveriam ser. Hoje, por meio dos editais nós conseguimos chegar em todos os cantos do País. Dessa forma, conseguimos fazer com que o dinheiro que é do pagador de impostos, chegue nas mãos de grandes talentos. “Disse Marco Antônio, Diretor do DPA.

A segunda edição do Concurso “Prêmio Palmares de Arte” está com inscrições abertas até o dia 27 de novembro de 2021. A inciativa tem como objetivo principal, fortalecer as expressões culturais quilombolas e afro-brasileiras, além de identificar, valorizar e dar visibilidade às atividades protagonizadas por cidadãos negros.

O edital visa PREMIAR 100 INICIATIVAS de artistas autodeclarados negros (pretos ou pardos), praticantes das diversas expressões culturais afro-brasileiras, preferencialmente de áreas de vulnerabilidade social, bem como artistas residentes em Comunidades Quilombolas devidamente certificadas pela instituição.

O Prêmio Palmares de Arte terá como objetivo principal fortalecer as expressões culturais quilombolas e afro-brasileiras; identificar, valorizar e dar visibilidade às atividades culturais protagonizadas por negros e às estratégias de preservação de suas identidades culturais, além de e incentivar a participação plena e efetiva da população negra e quilombola na elaboração, execução e avaliação de projetos, atividades, ações e e iniciativas que envolvam a cultura afro-brasileira por eles cultivada.

As iniciativas apresentadas deverão estar vinculadas a uma das seguintes categorias: Artesanato; Música; Dança; Teatro; e Leitura, escrita e oralidade: mitos, narrativas folclóricas e culinária tradicional. Em julho de 2020 foi lançado a primeira edição do Concurso Arte do Quilombo. O evento contou com mais de 600 inscritos, premiou 91 iniciativas culturais.

A fim de alcançar o mesmo êxito da edição passada, a Fundação Cultural Palmares lança o prêmio Palmares de Arte com o propósito de promover o fortalecimento, a valorização, a preservação, a divulgação da cultura afro-brasileira. O concurso também proporciona o fortalecimento do imaginário positivo relacionado às questões afro-brasileiras perante à sociedade; o fomento às manifestações culturais afro-brasileiras principalmente em tempos de crise e o auxílio à manutenção das expressões culturais nos quilombos.

Confira algumas imagens do evento (clicando aqui).

Por Fundação Cultural Palmares

De |novembro 22nd, 2021|Destaque, Notícia|0 Comentários