Fundação Cultural Palmares divulga os vencedores do Iº Prêmio de Fotografia – Amplitude e Dignidade

O Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra (CNIRC) finalizou todos os processos do Prêmio, incluindo a fase recursal (veja aqui), e já tem os cinco vencedores do certame, conforme publicado no Diário Oficial da União (veja aqui). São eles: Daiane Aparecida Silva; Diego Antônio Castro Carvalho; Salatiel Cícero da Silva; Letícia Portela Silva Ferreira; e Pedro Lucas da Silva Rebouças.

Uma Comissão Julgadora escolheu os cinco conjuntos de imagens que melhor representaram o conceito central do concurso.

Cada um dos premiados receberá a quantia de 50 mil reais, e suas fotos serão disponibilizadas no site da Palmares para uso gratuito de todo cidadão brasileiro. A utilização das imagens estará condicionada apenas à citação do autor e da Palmares, e ao uso não comercial.

 A seguir, um breve resumo de cada um dos ganhadores:

Daiane Aparecida Silva é uma fotógrafa de Minas Gerais. Seu ensaio traz o cidadão negro brasileiro em diversas profissões. Temos, por exemplo, o trabalho do agente penitenciário Jefferson Bispo dos Santos, na cidade de Patrocínio; e o do operador de máquinas Gilberto.

O fotógrafo Diego Antônio Castro Carvalho, do estado da Bahia, retratou em  seu ensaio o modo de vida tradicional dos pescadores da comunidade da Gamboa de Baixo, cuja presença no Centro Antigo de Salvador remonta ao período colonial.

O pernambucano Salatiel Cícero da Silva retratou a profissão de José Edvaldo Batista, de 63 anos, mais conhecido como Mestre Zuza. Aos 14 anos, Zuza já trabalhava com o barro em artes figurativas. Suas peças de cunho sacro refletem, essencialmente, a cultura nordestina.

O ensaio fotográfico de Letícia Portela Silva Ferreira, do estado da Bahia, tem como recorte temático a mulher negra em vários ofícios. Letícia apresenta em suas imagens uma estética essencialmente negra. É uma estética ao mesmo tempo apurada e calcada no cotidiano.

Por fim, o fotógrafo do Rio Grande do Norte, Pedro Lucas da Silva Rebouças, registrou diversos momentos da comunidade quilombola Capoeiras, a maior do seu estado. As fotos mostram os moradores envolvidos em atividades de cultivo e preparo da mandioca, que é a principal atividade econômica da comunidade.

Revista com as fotografias dos vencedores (veja aqui)

Por Fundação Cultural Palmares

De |dezembro 23rd, 2021|Destaque, Notícia|5 Comentários