DISTRIBUIÇÃO DE ALIMENTOS
Palmares participa de Ação para quilombolas em Santa Catarina

A Fundação Cultural Palmares (FCP), em ação conjunta com o Ministério da Cidadania participaram nesta terça-feira, 19 de julho de 2022, do ato de  entrega simbólica de cestas de alimentos às famílias quilombolas de Santa Catarina. No primeiro dia, foram destinadas 93 cestas de alimentos para 31 famílias, totalizando três para cada. Ao todo, serão 3.474 cestas de alimentos de 21,5 kg (cerca de 74 toneladas no total) voltadas ao público quilombola no estado.

Ação para comunidades remanescentes de quilombos em Santa Catarina

As cestas serão destinadas a 1.158 famílias em 14 municípios: Araquari, Balneário Camboriú, Campos Novos, Capivari de Baixo, Florianópolis, Garopaba, Joinville, Mampituba, Monte Carlo, Paulo Lopes, Porto Belo, Praia Grande, Santo Amaro da Imperatriz e São Francisco do Sul.

Estiveram presentes na cerimônia simbólica, ocorrida na sede da Secretaria do Desenvolvimento Social do estado, em Florianópolis (SC), o Presidente da FCP, Marco Antonio Evangelista; o Coordenador de Articulação e Apoio às Comunidades Quilombolas da FCP, Murilo Botelho Ferreira; o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento e a secretária de Desenvolvimento Social Adjunta do Governo de Santa Catarina, Rúbia Alice Tamanini.

Para o presidente da FCP, a distribuição dos alimentos nessas comunidades torna-se necessária, pois muitas famílias ainda dependem de ações como esta. “ É uma iniciativa que muda para melhor a vida desses cidadãos. Dar assistência ao povo quilombola é uma das prioridades da Fundação Palmares, indo mais além, é nossa missão valorizar a cultura negra, bem como o seu povo. ” Descreveu Marco Antonio Evangelista.

A iniciativa integra a Ação de Distribuição de Alimentos (ADA) do Ministério da Cidadania, a partir de um investimento de R$ 607 mil, e é uma das consequências da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental 742/2020, que tem como determinação a garantia de reforço nutricional a populações em condição de extrema vulnerabilidade, como quilombolas, ribeirinhos e indígenas, em função da pandemia do novo coronavírus.

Por Fundação Cultural Palmares

De |julho 20th, 2022|Destaque, Notícia|0 Comentários